Quanto custa colocar silicone nos seios? Conheça a cirurgia e as próteses

Turbinar os seios e deixá-los mais mais bonitões é o sonho de muita gente, mas você tem ideia do quanto custa colocar silicone? E sobre variedade de próteses que existem no mercado, você tem pelo menos um vago conhecimento sobre isso?

Antes de mais nada, é preciso saber que os valores podem variar bastante dependendo da região em que você vive, do especialista que vai fazer sua cirurgia e da escolha da prótese.

Além disso, quando o assunto é sua saúde, melhor não economizar e, se for preciso, esperar mais um pouco até suas economias cobrirem uma marca melhor de silicone ou o trabalho de um médico conhecido por seus cases de sucesso.

Afinal, quanto custa colocar silicone?

Entendido isso, é hora de falar em valores reais. As próteses, por exemplo, podem custar de R$ 2 mil e R$ 2,8 mil (média de valores praticadas em maio de 2016).

Mas, claro, o valor da prótese não resume o quanto custa colocar silicone. É preciso somar a isso as consultas médicas, o custo com a equipe e com a internação hospitalar por exemplo.

Então, de forma geral, as cirurgias de silicone nos seios pode custar de R$ 5 mil a R$ 12 mil.

Próteses maiores são mais caras?

Agora, uma coisa que pouca gente sabe é que o tamanho da prótese não influencia, diretamente, no quanto custa colocar nos seios. Uma prótese de 200 ml, por exemplo, tem o mesmo valor de uma outra, de 400 ml.

O que faz o preço variar, na verdade, é o modelo das próteses (cônica, redonda ou em gota); sua textura, se texturizada ou de poliuretano, por exemplo.

Nesse segundo caso, com as superfícies lisas, as próteses têm uma menor tendência a ter contratura capsular, ou seja, a perda de elasticidade da cápsula que envolve o implante e que pode causar distorção do formato da mama e dores.

Modelos de próteses de silicone para os seios

Apesar do modelo mais usado de silicone ser o redondo, esse não é o único tipo de prótese que existe no mercado.

Abaixo, você entende as variedades e que tipo de resultado cada uma delas proporciona depois do implante (lembrando que cada modelo de prótese pode ter suas próprias variações):

Prótese redonda

Esse tipo de prótese realça mais o colo e deixa os seios bem atraentes. A vantagem desse modelo, segundos os médicos, é que ele se adéqua a vários tipos de pacientes, apenas mudando a forma de inserir a prótese.

Para pacientes que querem o colo mais aparente, por exemplo, basta colocar o silicone abaixo da glândula. Quem busca um efeito mais natural, por outro lado, pode ter a prótese inserida pela técnica Dual Plane, parcialmente sobre o músculo do peitoral e a porção inferior da glândula do seio.

Prótese em gota, natural ou anatômica

Essas próteses realçam a parte inferior dos seios, sem chamar tanta atenção para o colo, deixando um resultado mais natural. Esse modelo, aliás, está sendo cada vez menos usado, já que a diferença a base e a altura pode causar rotações e deslocamento visíveis.

Prótese cônica

Elas conseguem projetar as mamas para frente e são ideais para mulheres que contam com o tórax muito estreito. Elas também são opções ideais para pacientes que contam com um grau leve de queda das mamas, uma vez que consegue reposicionar os mamilos sem outros tipos de cortes e reparos.

A grande desvantagem, nesse caso, é que o resultado não costuma ficar natural, como nos demais modelos.

É preciso trocar a prótese?

Agora, se você já está preocupada com o quanto custa colocar silicone uma vez, pode ser que esteja se perguntando se será necessário, no futuro, trocar a prótese, não é mesmo? De acordo com os médicos, a resposta para essa pergunta depende bastante.

No início da moda de turbinar os seios, existia uma conduta que indicava a troca do silicone a cada 10 anos. Isso porque as próteses antigas contavam com um gel líquido em seu interior, que poderia vazar no corpo da pacientes depois de alguns anos, caso o envólucro do silicone rompesse.

Isso não acontece atualmente porque os implantes são feitos de um gel realmente  resistente e coesivo, que não vaza. O silicone pode ser cortado ao meio, por exemplo, sem que o gel escorra.

Por causa disso, hoje em dia, a principal causa de troca de prótese de mama é a contratura capsular, como já mencionamos, que consiste na contração da cicatriz que se forma em volta do implante. Com as próteses de silicone texturizadas, de superfície rugosa, por exemplo; a chance de contratura e, consequente troca, diminui.

E aí, tiramos suas dúvidas sobre o assunto? Você está mesmo pensando em dar aquela turbinada na comissão de frente? Não deixe de nos contar nos comentários!

Agora, se você ainda tem aquele “medinho” de fazer a cirurgia e deixar os seios como você sempre quis, esse truque pode ajudar a dar aquela enganada básica no tamanho e no formato dos seus seios: O truque de Adriane Galisteu para ficar turbinada sem silicone.

Fontes: Bio Plástica, Gustava Steffen Alvarez, MM, Garota Beleza, Cirurgia, Corpo a Corpo