Revelações de Megan Fox: atriz comenta sobre suas inseguranças

Megan Fox fez revelações sobre seus trabalhos passados, problemas pessoais e inseguranças que vem tratando ao longo dos anos.

Megan Fox, atriz e modelo estadunidense, é um dos rostos mais conhecidos dentre as celebridades da atualidade. Recentemente, Megan revelou ao público detalhes importantes sobre sua vida pessoal e profissional. Segundo ela, está passando por um dos melhores momentos tanto da parcela íntima de seus dias quanto de sua carreira. Nesse sentido, seus últimos trabalhos no cinema e na televisão e seu relacionamento com o cantor Machine Gun Kelly foram de grande ajuda para superar problemas emocionais que possui há anos.

Não é nenhum segredo para os fãs de cinema que papéis estrelados por Megan Fox como o de Mikaela, em “Transformers: A Vingança dos Derrotados”, a colocaram em uma nova luz. Contudo, tal fama está relacionada à forte sexualização que a atriz sofreu por conta do sucesso de bilheteria. Da mesma forma, seus tratamentos estéticos também fizeram com que fosse bombardeada constantemente por uma falsa admiração.

Em entrevista, Megan Fox também revelou sobre o quanto aparências podem enganar. Após questionamento se o fato de ser “bonita e inteligente” intimidava muitos homens, a atriz comentou sobre suas inseguranças. Segundo ela, é simples olhar para alguém e pensar que “essa pessoa é tão bonita. Logo, a vida dela deve ser muito fácil”. Todavia, Fox falou sobre como muito provavelmente, tal pessoa não se sente assim. Logo depois, revelou ter dismorfia corporal, raiz de diversas inseguranças profundas.

As revelações de Megan Fox sobre insegurança

Revelações de Megan Fox

A atriz já foi aberta a respeito de seus conflitos pessoais e inseguranças várias vezes ao longo dos anos. Nesse sentido, seus problemas a acompanham desde que era criança. Megan fala sobre como nunca foi a garota bonita em sua época de escola: “Eu usava aparelho e pintava o cabelo de laranja. Não era a garota popular, sempre fui mais solitária”. A revelação foi feita para a Hollywood Reporter, em 2011.

Já em 2009, após o lançamento de “Garota Infernal”, Megan era definida pela imprensa como um símbolo sexual. Contudo, a ocasião fez com que chegasse a um ponto de ruptura. Fox se recusava a tirar fotos, aparecer em revistas, andar em tapetes vermelhos ou sequer ser vista em público. De acordo com a atriz, tinha muito medo e uma forte crença de que “zombariam de mim, ou cuspiriam em mim, ou gritariam comigo, me apedrejariam só por estar lá fora”. Assim, passou por momentos sombrios.

Seja como for, após passar pela situação, Megan Fox acredita estar muito mais tranquila em relação ao seu passado. Em entrevista à GQ, a atriz fala que “tem feito seu melhor para dar sentido a isso”. Para ela, “é fácil passar por uma situação do tipo e se sentir como vítima”, já que, em sua opinião, é o primeiro instinto e resposta. Mesmo assim, Megan trabalhou muito para que pudesse eliminar o sentimento de vítima, percebendo que tudo foi uma lição. Ela também fala sobre como isso a “transformou em um ser humano mais interessante”.

Dismorfia corporal

Revelações de Megan Fox

A dismorfia corporal, ou transtorno dismórfico corporal (TDC) é um problema de saúde mental. Nele, o afetado vê diariamente diversos problemas em sua aparência, e não consegue parar de pensar neles. Isso faz com que você se sinta envergonhado, ansioso e intimidado, evitando várias situações em que precise estar em público. Existe uma concentração intensa em sua aparência e imagem corporal. Dessa forma, é possível que passe longas horas se olhando no espelho, se arrumando e buscando se sentir mais seguro.

Para Megan Fox, a fixação nesse detalhe sobre si, mesmo que sua percepção fosse equivocada, fez com que o caso se tornasse obsessivo. Por outro lado, revelou que seu relacionamento com o namorado permitiu que pudesse trabalhar essa questão, sentindo-se mais confortável consigo mesma.

Geralmente, o transtorno não melhora por conta própria, o que faz com que quem sofre com isso precise buscar ajuda. Nesse sentido, o tratamento para o TDC envolve até mesmo terapia cognitivo-comportamental, bem como medicamentos. Caso o problema não seja tratado, ele pode ter consequências graves. O TDC leva à ansiedade, depressão e até mesmo pensamentos e comportamentos suicidas.


Outras postagens

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários