Curiosidades

Medo, o que é? Quais são os seus níveis e porque o sentimos

O medo é um sentimento instintivo que contribuiu para a evolução dos seres humanos. Há pontos positivos e negativos a seu respeito, não se pode subestimar seus efeitos.

Por Maria Ritha Paixão

O medo é um instinto básico do ser humano, que funciona para proteger a raça de ameaças em potencial, uma vez que o sentimos frente à alguma situação de perigo. Há muitas pessoas que associam tal instinto à covardia. Apesar disso, essa associação não é necessariamente correta, já que existem pontos positivos no medo.

Sobretudo, o medo, como qualquer instinto, precisa ser compreendido conscientemente. Ainda mais importante, ele precisa ser dominado e usado da forma certa.

Se ainda estamos vivos, devemos o fato ao sentimento de medo. De certo modo, a reação irracional é um fenômeno que nos ensina a ter precaução. Mas, se exagerado, pode causar certas doenças psicológicas, muito difíceis de reverter.

O acionamento inconsciente, às vezes, resulta em traumas que levamos para a vida inteira. Ou, mesmo que não seja uma reação à algo, o nosso imaginário é capaz de criar diversas fantasias medonhas. Difícil mesmo é superá-las, mas não é impossível!

O que é o medo?

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Infoescola

A princípio, o medo é um instinto natural dos seres vivos. Os estímulos cerebrais que surgem a partir da sensação faz com que os músculos do corpo de contraiam. Isso porque o acúmulo de estresse gera substâncias que afetam diretamente nos batimentos cardíacos.

Este sentimento surge por diversos fatores, desde que, de alguma forma, o cérebro interprete que algo é ameaçador. Tem pessoas que sentem medo de um simples inseto, tanto quanto talvez sentiria se estivesse sendo alvo de um assalto a mão armada.

São extremamente opostos os casos acima, mas, mesmo assim, o medo está presente em ambas as situações. Portanto, a resposta do organismo vem imediatamente ao sentirmos medo e, graças à essa reação, é que garantimos até hoje a evolução do seres humanos.

Níveis de medo

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Vida Simples

O medo em estado extremo, ou seja, bem além do racional, se transforma em um estado maior, o medo patológico. É partir desse transtorno que se desenvolve a ansiedade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem a taxa de 9,3% de brasileiros que sofrem da doença.

Portanto, saber administrar esse sentimento é importante para a qualidade de vida da pessoas. Imagine ter medo de tudo, de sair e socializar, da violência da cidade, de falar em público, ou de simplesmente pensar na morte. São muitas as possibilidades de se desenvolver o sentimento.

Uma outra forma de manifestação do medo é quando, ao contrário de reagir, ficamos paralisamos diante de uma situação. Em contraponto ao instinto de sobrevivência, isso pode colocar em risco a vida de quem está sob ameaça. Mas, tudo está relacionado a cada indivíduo e ao seu processo de formação.

Medo X Fobia

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Roberta Sanzi

Primeiramente, o medo é algo mais natural, normal do ser humano. A fobia é a evolução do medo para um diagnóstico mais patológico. Temos centenas de tipos de fobia, no entanto, separamos as mais conhecidas para melhor visualizar o conceito de medo.

Claustrofobia

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Oriente-me

A princípio, a claustrofobia é o medo de estar preso em locais fechados. Quem tem esse tipo aversão pode, facilmente, sofrer de ataques de pânico. A sensação pode surgir ao estar no meio de multidões, no elevador, ou em uma sala muito fechada. Tudo depende do indivíduo que a sente.

Aracnofobia

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Mega Curioso

A aracnofobia é, basicamente, o medo de aranhas. A pessoa não suporta a ideia de estar na presença de um desses animais. O medo é extremo ao ponto de limitar a vida do aracnofóbico. Normalmente, quem tem o problema, evita sempre locais onde possa vir aparecer um aracnídeo.

Altofobia

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Psicólogos Berrini

Provavelmente, você já deve ter conhecido alguém com essa patologia. A altofobia consiste, sobretudo, no medo de altura. Uma pessoa assim jamais saltaria, por exemplo, de paraquedas. Ou mais, talvez ela jamais chegasse próximo ao parapeito de uma sacada de prédio.

Caliginefobia

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Site de Curiosidades

O nome é estranho, mas caliginefobia é o medo desenvolvido nos homens quando estão perto de uma mulher bonita. Pode até ser engraçado, no entanto, quem sente esse tipo de ameaça tem desconfortos extremos, podendo levar a sérios ataques de pânico.

Coulrofobia

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Freak

Se você se sente muito desconfortável e entra facilmente em pânico quando vê um palhaço, isso significa diagnóstico de coulrofobia. Muitas crianças desenvolvem essa doença ainda na infância. O pavor é tão grande que marca para o resto da vida, inclusive a fase adulta.

Como tratar o medo?

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Banda B

Esses são apenas algumas das várias fobias desenvolvidas a partir do medo. Mas, antes de tomar qualquer decisão, tente entender quais são os sintomas. Todo mundo que passar por uma situação desesperadora apresenta os seguintes sinais:

  • Falta de ar
  • Taquicardia
  • Tremores
  • Sudorese
  • Ondas de frio e calor
  • Insegurança
  • Irritabilidade

Notou estes sinais? Então pare, respire profundamente 3 vezes, soltando o ar bem lentamente. Isso ajudará a normalizar seus batimentos cardíacos e você enxergará com mais clareza a situação. Se fizer esse simples passo a passo, o oxigênio voltará a correr normalmente, e você reassumirá o controle da situação.

Medo - o que é, quais são os níveis e porque sentimos
Yam

Quando se acalmar, faça o exercício de recordar qual pensamento, ou situação o levou ao descontrole. Identificar o que causa sentimento é um passo essencial para dominar o sentimento. Ou seja, estar consciente do que lhe causa pânico ajuda a prevenir uma crise.

Quando você for identificando as situações que lhe desencadeiam maus sentimentos, e de conseguir controlar sua reação diante delas, não deixe de comemorar sua conquista. É importante se parabenizar sempre com uma vitória, porque o sentimento prazeroso contrapõe o sentimento de fracasso, fortalecendo mais e mais a capacidade do paciente.

No mais, procure a ajuda de um psicólogo para entender melhor a si mesmo. Isso, com certeza, ajudará a superar temores dos quais nem tínhamos noção. O profissional também guia em uma profunda busca interior, e isso não só revela coisas ruins, mas faz emergir suas qualidades.

Por fim, para mais curiosidades como essa leia 9 das fobias mais esquisitas que alguém pode ter no mundo

Fontes: Vittude, Psicologia Viva 1, Psicologia Viva 2, Infoescola, Atlas da Saúde, Unimed, Brasil Escola

Fontes de imagens: Infoescola, Vida simples, Psicólogos Berrini, Oriente-me, Mega Curioso, Freak, Yam, Banda B, Giz ModoRoberta Sanzi

Próxima página »

Escolhidas para você