Você pode ter até 10 mil fungos e bactérias na calcinha!

Será que você realmente lava sua calcinha do jeito certo? Uma pesquisa brasileira, realizada pela Faculdade Devry Metrocamp, em Campinas, mostrou que a simples lavagem não livre as bactérias na calcinha, especialmente as que despertam problemas como coceiras, irritações e até mesmo infecções urinárias.

De acordo com o estudo, 52 peças, entre calcinhas, sutiãs e cuecas foram analisadas. Dessas, 27 foram compradas em lojas de shopping e 25 já haviam sido usadas e tinham sido lavadas recentemente.

Conforme os pesquisadores, foi possível registrar o crescimento de bactérias em 85% das peças compradas para a pesquisa logo depois da lavagem e 29% delas apresentaram também contaminação por fungos.

Com relação às lingeries que já haviam sido usadas e lavadas, o resultado foi mais sério. Em aproximadamente 92% dos casos examinados foram registras bactérias. O pior de tudo é que nessas amostras havia contaminação de pelo menos 10 mil micro-organismos.

O que as bactérias na calcinha podem causar?

De acordo com a líder da pesquisa, Rosana Siqueira, essas bactérias na calcinha, no sutiã e na cueca são do tipo oportunista. Em pessoas saudáveis elas não causam muitos estragos, refletindo apenas como uma coceira ou um corrimento.

O problema está em pessoas recém-operada nas regiões íntimas ou que está com a imunidade baixa. A especialista explicou que nesses casos, a presença dos agentes infecciosos pode ser perigosa, podendo levar até mesmo a quadros de infecção urinária.

Dentre as 10 mil possíveis bactérias na calcinha, alguns exemplos clássicos foram identificados. Um bom exemplo foi a Cândida albincans, fungo responsável pela candidíase. O Staphylococcus aureus também estava presente em grande parte das amostras e se trata de uma bactéria ligada a complicações dermatológicas, como furúnculos e abcessos, que consistem em acúmulo de pus.

Já, nos sutiãs e em outras peças íntimas, os micro-organismos mais preocupantes encontrados nas amostras foi a bactéria E.Coli. Para quem não sabe, ela costuma ser encontrada no ânus e pode provocar irritação, micoses e manchas.

Como higienizar a lingerie corretamente

Se você está imaginando qual a melhor forma de higienizar suas peças íntimas para acabar com as bactérias na calcinha, os pesquisadores garante que os cuidados são bem simples.

A primeira dica é para evitar lavar as peças íntimas com shampoos e condicionadores. O melhor é optar por sabonetes neutros, sabão de coco e produtos específicos para a lavagem de lingeries. Usar água quente na lavagem também ajuda a mandar esses agentes infecciosos para longe.

Você também não deve deixar calcinhas e outras peças íntimas no cesto de roupas sujas por muito tempo, já que esse é um local abafado, perfeito para que os micro-organismo proliferarem.

E, se você costuma deixar calcinha secando no boxe do banheiro, pare agora mesmo! O correto é deixar as peças íntimas secarem no varal, de preferência como forro do fundo virado para dentro. Isso permite que a lingerie fique arejada e afasta os micro-organismos indesejados.

Outra dica preciosa também é passar as pelas antes de usá-las. O calor ajuda a matar as bactérias da calcinha, especialmente do fundo, que fica em contato direto com os órgãos íntimos.

Para terminar, calcinhas com cheiro estranho, com manchas e furos devem ser descartadas pelo bem de sua saúde. O ideal é trocar todas suas lingeries de 6 em 6 meses e, claro, manter a gaveta onde elas são armazenadas sempre livres de poeira e de umidade.

E então, você imaginava que pudesse ter tantas bactérias na calcinha? Você já teve alguma problema com a saúde íntima por causa da lingerie? Não deixe de nos contar tudo nos comentários!

E, falando na higienização correta das coisas, você precisa ler esse outro post urgentemente: Descubra quando lavar 8 utensílios do seu dia-a-dia.

Fonte: Boa Forma