Ácidos AHA: confira o que são e para que servem

Os ácidos AHA são um grupo de ativos derivados de plantas e frutas, e que estão presente em uma enorme variedade de cosméticos.

Os ácidos estão cada vez mais presente em fórmulas de dermocosméticos e isso não é por acaso. Entre os mais conhecidos, tem a categoria dos ácidos AHA, que você muito provavelmente já deve ter visto essa sigla entre os componentes de algum produto que você usa.

A sigla AHA é a abreviação de alfa-hidroxiácidos. O nome é estranho, mas esse tipo de ativo é realmente revolucionário e incrível. Os ácidos AHA fazem parte de um grupo de ativos derivados primordialmente de plantas e frutas, e que estão presente em uma enorme variedade de cosméticos. Eles atuam principalmente no tratamento de manchas de pele, cicatrizes de acne e envelhecimento precoce.

Entre os ácidos AHA mais conhecidos podemos citar o ácido glicólico, ácido láctico e o ácido mandélico. Conhece algum desses? Então, a seguir vamos entender melhor o que são esses ácidos e os seus benefícios para a pele.

O que são os ácidos AHA?

Em termos técnicos, os ácidos alfa-hidroxiácidos ou ácidos carboxílicos orgânicos são um grupo de ácidos hidroxila ligados na posição alfa do grupo carboxil. Ou seja, esses ativos podem ser usados para uma série de problemas. Os ácidos AHA estão presentes em frutas, tais como uvas, caldo de cana e até no açúcar da beterraba.

Além disso, os ácidos AHA são ácidos solúveis em água, derivados de frutas e cereais, sendo ativos com múltiplas funcionalidades, proporcionando diversos benefícios. Uma das principais características desse tipo de ácido, é que eles são uma espécie de esfoliante químico sem grânulos. Sendo assim, atuam diminuindo a adesão entre as células mais superficiais da pele, resultando na renovação celular. E o melhor de tudo, mesmo agindo profundamente na pele, eles causam menos irritação quando usado na quantidade ideal.

Aliás, é importante frisar que nem todos os ácidos AHA tem o mesmo efeito. Desse modo, cada um tem sua função e ação sobre a pele. Então, pode-se usar vários ácidos juntos, contando que seja em concentrações e pequenas, porque estamos falando de ácidos. Sendo assim, é fundamental consultar um dermatologista antes de aderir aos ácidos AHA, ou qualquer outro tipo de ácido. 

Quais são os ácidos AHAs mais conhecidos e usados?

Um dos principais representantes da categoria de ácidos AHA é o ácido glicólico, que é o mais conhecido. Mas além dele, existem outros ácidos muito importantes e que estão presentes na composição de uma série de produtos cosméticos.

Ácido glicólico

O ácido glicólico é o queridinho entre os ácidos AHA, tendo propriedades reconhecidas cientificamente, principalmente no tratamento de acne. Esse ácido tem como principal função a renovação celular, e faz isso através da esfoliação e descamação da pele. 

Além disso, ele estimula a produção de colágeno, que é fundamental para deixar a pele mais resistente e elástica. E como o ácido glicólico é o AHA com menor peso molecular, ele consegue penetrar profundamente na pele, potencializado ainda mais os resultados. Por fim, ele ajuda no controle da oleosidade e suaviza as cicatrizes da pele.

Ácido lático

Já o ácido lático tem como ponto forte um alto poder de hidratação da pele. Isso porque esse ácido faz parte do Fator Natural de Hidratação da pele, ou seja, um grupo de moléculas umectantes que é fundamental para a retenção da umidade na pele.

Ácido málico

O ácido málico contém uma molécula maior do que os demais AHAs, o que reduz seu poder de penetração na pele. Sendo assim, esse ácido é mais suave, e indicado para prevenir cravos e espinhas, além de promover uma pele mais iluminada e com viço. Aliás, esse ácido é também um umectante, então ajuda a reter a água na pele e mantê-la hidratada. 

Ácido cítrico

O ácido cítrico é conhecido pela sua forte ação antioxidante e por conter ativos que estimulam a renovação celular e também o seu clareamento. Sendo assim, ele ajuda a promover uma pele com tonalidades e texturas uniformes. Não por acaso esse ácido é muito usado em peelings químicos.

Ácido mandélico

Por último temos o ácido mandélico, que é derivado de amêndoas amargas. Esse alfa-hidroxiácido é indicado principalmente para quem tem pele sensível, já que ele é absorvido lentamente pela pele. Desse modo, o risco de irritações ou vermelhidão é bem menor. Além disso, o ácido mandélico tem ação hidratante, clareadora, antibacteriana e antifungo, sendo fortemente indicada pra o tratamento de peles acneicas.

Principais benefícios dos ácidos AHA

Os ácidos AHA proporcionam uma série de benefícios para a pele. Mas alguns se destacam e provam como esses ativos realmente milagrosos. Por exemplo, esses ácidos são famosos por suas propriedades anti-sinais, sendo assim, ajudam a reduzir e suavizar as marcas de expressão e linhas suaves.

Os AHAs também tem um grande diferencial que é aumentar a produção de colágeno. Para quem não sabe, o colágeno é uma proteína muito importante para a estrutura, elasticidade e firmeza da pele. E com o passar dos anos, o nosso organismo sofre uma queda na produção dessa proteína, o que resulta no aparecimento das linhas de expressão. Então, os ácidos AHA podem ajudar na prevenção do envelhecimento precoce. 

E por último, mas não menos relevante, e talvez o principal atrativo desses ácidos, é que eles clareiam as manchas da pele. As manchas aparecem por vários motivos, idade, exposição solar, marcas na pele, cicatrizes de acne e etc. Então, como os ácidos promovem a renovação celular, surgem novas células uniformemente pigmentadas e que uniformizam o tom da pele. Portanto, os ácidos são muito indicados para o clareamento de manchas leve.

Como usar os ácidos AHA?

Com esse tanto de benefício interessante, é claro que todo mundo vai querer usar os ácidos AHA. Esse tipo de ácido pode ser usados de forma combinada ou isolada a outros ativos, principalmente no tratamento de acne, prevenção de envelhecimento precoce e outras condições. 

Os produtos com esses ativos podem ser usados tanto na rotina de skincare matinal, sempre acompanhado de um protetor solar ou na rotina de cuidados noturna. Eles também podem ser usados diariamente ou em dias alternados, contudo, isso dependerá da indicação do tratamento e das necessidades de cada paciente. 

No entanto, é importante ressaltar que se trata de ácidos potentes e que podem irritar a pele. Sendo assim, é fundamental consultar um dermatologista para saber se esse tipo de ácido é realmente a melhor opção de tratamento no seu caso. 

Na verdade o primeiro passo é fazer esse consulta, para que o dermatologista avalie sua pele, entenda suas necessidades e disfunções. Só assim ele poderá recomendar uma rotina de cuidados e o tipo de produto que você deve usar, incluído os ácidos AHA ou não.

LEIA MAIS:

Ácidos para o rosto – Os principais ácidos e seus benefícios para a pele

Ácido para espinhas: os mais indicados para a pele e como usar

Ativos anti-idade – Ingredientes poderosos para ter uma pele firme e jovem

Poros abertos – Dicas de como prevenir e amenizar + tratamentos

Hidratante para pele oleosa – Melhores opções de cuidado

Manchas de espinhas – Como tratar e prevenção

Fontes: Sallve Tulípia DermaClub


Outras postagens

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários