Curiosidades

Comida mineira – História de origem, tipos e simplicidade

A comida mineira é umas das culinárias patrimoniais do Brasil. Sua origem simples e miscigenada ganha os paladares do mundo inteiro.

Atualizado em 22/09/2020

Só quem já comeu a comida mineira entende o trecho da música “ô Minas Gerais, quem te conhece não esquece jamais…”. A culinária mineira é um dos patrimônios mais ricos e saborosos do Estado mais tradicional do Brasil. Sua força e simplicidade são tão grandes que já até fazem parte de outras culturas como se estivessem lá desde a raiz da existência.

Goiás, por exemplo, é a princípio um dos lugares que mais reproduzem a comida mineira. A proximidade culinária e territorial somaram pratos e receitas inesquecíveis para quem visita os locais. O Brasil em si é fonte de diversas influências culturais no ramo da comida e esta é a maior riqueza do país. Portanto, se for dar uma passadinha em Minas, não deixe de dar um olhada na matéria abaixo para não perder a oportunidade de comer as especiarias de lá.

História da comida mineira

BN

A princípio, tudo começou com a corrida do ouro no centrão do Brasil. O marco histórico das invasões portuguesas trouxeram para o país e especificamente Minas Gerais uma grande quantidade de imigrantes. Agora, repare bem, se antes o Estado era visto somente como uma fonte de exploração mineral, não havia cidade, restaurantes e muito menos condições de vida iguais ao que temos referência hoje em dia.

Para essas pessoas (exploradores, garimpeiros, escravos, senhorios e outros) fazer a própria comida era um desafio diário. Com isso, tiramos de base que as refeições eram preparadas de acordo com o que era possível comer por ali. É exatamente aí que está a base da culinária Mineira. Normalmente, os pratos eram originados de coisas fáceis de se achar e fazer.

Milho, mandioca, vários outros tipos de verduras se tornara, por fim, a base alimentar deste povo. Comidinhas fáceis de fazer e com poucos ingredientes como fubá e água davam vida ao famoso “angu” mineiro. Ambos os ingrediente para a época eram sobretudo muito saudáveis e cheio de energia para os trabalhadores das Minas. É isso ai! Quem não tem cão caça com gato e o jeito mesmo foi inventar o que fazer no meio da mata.

Simplicidade dos pratos

Uai

Primeiramente saiba que simplicidade não quer dizer falta de vitaminas para o corpo. Ao contrário, a comida mineira é riquíssima em substâncias importantes para a saúde. O milho é uma das bases da culinária mineira e é fonte de antioxidantes, cereais com baixa caloria, fibras que influenciam diretamente no funcionamento dos órgãos.

O feijão tropeiro é um ótimo exemplo para ilustrar o quanto o alimento é perfeito para saúde. O ferro presente nos grãos e na couve que normalmente vão junto na receita combatem doenças como a anemia. Imagine só os trabalhadores das minas com sintomas de fraqueza e sonolência? É por isso mesmo que eles inventaram essa comida saborosa e cheia de vitaminas.

São mais de 300 anos de cultura da comida mineira. Portanto, não subestimem os ensinamentos passados de gerações a gerações. Os ingredientes simples recebem temperos e segredos tão únicos que não há brasileiro que negue a excelência do preparo.

Mais uma vez analise e tente compreender essa miscigenação culinária. O Brasil recebeu pessoas do mundo inteiro com suas sabedorias, temperos, costumes, jeitos de cozinhar. Tudo isso deu ao ar de simplicidade da comida mineira um toc de sofisticação inconfundível para a população.

Base da alimentação mineira

Panorama de viagem

Corre e pega o papel e caneta, porque a comida mineira é super diversificada e a lista de compras é enorme. Milho, batata, couve, frango, quiabo, fubá, tomate, farinha, feijão, tudo isso e muito mais estão dentro do pacote da receita mineira. O jeitinho caseiro de fazer e manter a tradição viva é o principal segredo para tornar tudo mais gostoso também.

Aliás, já parou para reparar no quanto o prato mineiro é bastante colorido. Verduras, legumes e proteínas de todas as cores e sabores compõem a estética na hora das refeições. Receitas doces e salgadas não ficam de fora dos momentos festivos, dos dias de domingo e das semanas de trabalho. Portanto, saúde é o que não falta para o povo mineiro.

Pratos típicos da culinária mineira

Isamara Amâncio

Enfim, depois de sabermos tudo isso sobre a culinária mineira, vamos apresentar algumas opções para fazer experimentar em casa. As receitas as seguir são as mais consumidas e procuradas em Minas Gerais. Alguns podem até ser familiares para você dependendo do Estado onde vive. Dê só uma olha, é de dar água na boca.

Frango com quiabo

Band

A carro chefe, o mais pedido e cobiçado é, sobretudo, o frango com quiabo. Com certeza até quem tem problemas com o vegetal “babento” deve abrir uma exceção e fazer as pazes com o quiabo. A princípio, a junção dos dois alimentos são fundamentais para compor de fato a tradição mineira. Cada qual com seus gostos e vitaminas, porém somam pontos para saúde e para o paladar quando associados.

Torresmo

Paleodiário

O bom cachaceiro sabe que um torresminho na hora de beber é o tira-gosto ideal para ir se deliciando antes do almoço. A pele de porco tostada no óleo é tradição de muitos anos em Minas Gerais. Mais uma vez trazemos aqui suas origens, porque normalmente a pele do porco é descartada. No entanto, com a escassez de antigamente ela passou a ser reaproveitada e ganhou espaço na culinária da região.

Pão de queijo mineiro

Cozinhando com a Ly

O bom e velho pão de queijo não poderia jamais faltar na lista de comida mineira. Este alimento a base de polvilho escaldado é o preferido dos mineiros, mas também se propagou pelo Brasil e quiçá pelo mundo. Essa criação única e exclusiva do Estado de Minas é, a princípio, um alimento vindo lá do século XVIII.

Há registros que contam que a base da receita é vinda dos portugueses, contudo recebeu algumas adaptações dos escravos. E, para completar, os indígenas também influenciaram na mistura quando resolveram acrescentar a mandioca no meio. Portanto está mais do que comprovado que uma das melhores comidas do mundo é mineira e tem diversas influencias positivas em sua origem.

Tatu à mineira

Tudo Gostoso

Tatu à mineira ou, como é mais conhecido, tutu de feijão é um prato bem diferente do feijão que conhecemos. Este tipo de prato leva em sua mistura a farinha de mandioca para que a textura fique igualzinha a da imagem acima. Normalmente, o cozimento do grão é feito sem tempero, sendo o sabor dado após sair da pressão.

O bom do tutu de feijão mineiro é que você acrescentar diversas coisas em sua receita. Bacon e couve é o mais usual no Estado, no entanto já exitem outras dicas de misturinhas que vão dar um “tcham” na refeição. Além disso, deivido a farinha o tatu a mineira é ideal para deixar a pessoa saciada sem precisar incrementar tantas coisas no prato.

Galinha ao molho

Divinas Receita

Primeiramente, quem nunca provou o frango ao molho, não sabe o que é bom. Essa comidinha vinda diretamente da roça se aprimorou e ganhou o Brasil. É a partir dela que o quiabo foi incrementado na receita e ganhou os paladares mineiros, sem exceção. Portanto, prepare-se, pois quando se aventurar na cozinha e preparar o frango ao molho mineiro os seus convidados com certeza irão amar a surpresinha.

Feijão tropeiro

Delyshows

Enfim, um bom churrasco pede aquele vinagrete e um feijão tropeiro imprecável. Se percebeu bem até aqui você já dever ter entendido que em se tratando de feijão os mineiros sabem bem como diversificar o prato. Ao contrário do tutu de feijão, o tropeiro é uma outra forma menos cozida de fazer uma misturinha bacana com outros tipos de legumes e proteínas.

O estilo de cozimento chamado pagão deixa a consistência do feijão mais durinho do que o comum. É assim que se torna possível levar o feijão para o procedimento seguinte sem que ele fique derretendo como os outros tipos.

Angu

Pinterest

Alguém já ouviu o ditado “no meio desse angu tem caroço”? Se ouvir, com certeza sabe que só pode vir a ser criado em Minas Gerais. O prato feito a base de fubá e água era e ainda é o mais consumido pela população e tem também estado no topo dos pedidos para o almoço de domingo. Por ser um tipo de receita mais simples e sem muito tempero, o angu é ideal para servir como acompanhamento de outros tipos de comida mineira salgada.

Ambrosia

Sabores Ajinomoto

As comidas mineiras doces são muito conhecidas também, principalmente a ambrosia. Calma, se você não conhece esse nome diferente é bem provável que já tenho ouvido falar ou experimentado o “doce de ovos”. Este tipo de preparo a base de ovos, açúcar, cravo e carinho é bastante apreciado por seus consumidores.

Doce de leite

Na Mira

Um doce de leite com queijo é umas das principais sobremesas mineira. O leite talhado cozido é muito conhecido e existe vários jeitos de preparos e consistências para comer e se deliciar. Granulado, liso, em pedaço, seja qual for o seu jeito não tem decepção no paladar.

Biscoito de polvilho

Na Minha Panela

O biscoito de polvilho é um tipo de comida bem leve, feito ao forno, muito usado para o lanche da tarde com um bom café. Está receita é aquelas preparadas pela vovó mineira e que sempre tem em casa na hora de fazer algo rápido para servir. Atualmente, a opção é vendida até em supermercados e padarias já feitas de fábrica. Mas, o ideal mesmo é experimentar aquele quentinho do forno que só Minas Gerais tem.

Por fim, leia mais curiosidades em Como substituir o sal na hora de cozinhar sem perder o sabor da comida

Fontes: Food Magazine, GHP, Tudo Gostoso, 360 Meridianos, Lokamig, mg, Procopão,

RFontes de imagens: BN, Uai, Panorama de Viagem, Isamara Amâncio, Band, Paleodiário, Cozinhando com a Ly, Tudo Gostoso, Divinas Receita, Pinterest, Sabores Ajinomoto, Na Mira, Na Minha Panela, Circuito de Minas