Beleza

Pelo encravado – por que encrava, causas mais comuns e como evitar

Com certeza, você já teve algum pelo encravado depois de se depilar. Por isso, reunimos informações importantes pra você evitar que isso aconteça de novo

O pelo encravado é um problema frequente na vida de muitas pessoas. Aliás, é muito comum que isso aconteça após uma depilação. Por isso, na maioria dos casos, pelo encravado é algo possível de se resolver sem a ajuda de um profissional.

Porém, existem casos em que o pelo encravado pode trazer complicações. Se a situação ocorrer de forma crônica, por exemplo, é possível que você precise fazer tratamento com um dermatologista.

Agora, se você está se perguntando por que isso acontece, a explicação é bem simples. Basicamente, o pelo encravado ocorre por encontrar dificuldade na hora romper a pele para nascer.

Por conta disso, acontece o crescimento interno do pelo, sob uma fina camada de pele. No final das contas, isso costuma causar coceira, vermelhidão, dor e até mesmo inflamação na região.

Então, por conta do incômodo, muitas pessoas insistem em tentar tirar o cabelo com as unhas ou com pinça. Contudo, essa atitude pode piorar a situação, ferindo a pele e abrindo espaço para que bactérias entrem.

Portanto, para que isso não ocorra, selecionamos algumas dicas importantíssimas.

Tipos de pelo encravado

Basicamente, o pelo encravado é reconhecido pelo corpo como algo estranho. E é justamente por isso que gera uma reação inflamatória semelhante com a das espinhas.

Como já explicamos, o pelo encravado é aquele que não consegue romper a camada mais superficial da pele, se curvando para dentro do folículo.

Mas, claro, existem várias formas de um pelo encravar. Por exemplo, tem aqueles que apenas uma parte desponta para fora da pele. Ou então, aqueles que encravam por algum tipo de bloqueio e que crescem para o lado, ficando visíveis abaixo da camada da pele.

Contudo, de todos esses tipos, o que tem mais chances de inflamar é aquele que volta para o mesmo espaço do qual começou a despontar. E isso muitas vezes faz com que forme uma bolinha vermelha dolorida ao seu redor, com direito a pus e tudo o mais.

Esse tipo de pelo encravado, aliás, é mais comum em áreas como o pescoço, virilha e axilas. Isso porque são áreas do corpo com mais dobras, e com mais probabilidade de atritos.

Quais as causas do pelo encravado?

Primeiramente, vale ressaltar que em qualquer parte do corpo humano onde nasce cabelo, o fio pode encravar ou inflamar. Porém, em regiões mais aquecidas, existe uma maior probabilidade disso ocorrer. Exatamente devido ao calor, e do fato das altas temperaturas favorecem a umidade e a inflamação dos poros.

Além do mais, essa conjunto de fatores estimula também a oleosidade e a transpiração excessivas. Essas duas, aliás, são verdadeiras receitas para a obstrução de folículos, o que ainda dificulta bastante a saída do pelo.

Outros fatores que facilitam a ocorrência de pelo encravado são alterações hormonais, baixa imunidade e também feridas na pele. Mas, claro, existem as causas clássicas dos pelos encravados, como você confere a seguir.

Depilação

A primeira causa de todas, com certeza, é a depilação. E não tem muito como fugir, já que a retirada facilita esse quadra, seja ela com lâmina, cera ou pinça. A única exceção, claro, é a depilação a laser, que enfraquece a raiz do pelo, mas não o retira da pele.

Aliás, os homens que raspam ou depilam os pelos também estarão sujeitos a ter pelo encravado. No caso deles, as regiões mais comuns de acontecer são a barba, o pescoço e o peito.

Roupas apertadas

Sobretudo, roupas apertadas podem fazer com que os pelos fiquem ainda mais encravados. Isso acontece, basicamente, porque as roupas apertadas causam atrito constante com a pele, especialmente da virilha e das coxas.

Vale ressaltar que o problema se torna ainda maior para pessoas que praticam esportes ou outras atividades físicas, e que usam roupas bem mais coladas.

Tipo de pelo

Normalmente, regiões do corpo em que os pelos são mais grossos e enrolados ou pessoas que tenham o cabelo e a barba com essas características estão mais sujeitas a desenvolverem pelos encravados.

Sintomas do pelo encravado

Normalmente, o pelo encravado conta com uma bolinha avermelhada ao seu redor. Ela pode ser dolorida ou não, pode coçar ou não, e pode ainda ter pus.

Contudo, a forma mais fácil de se perceber que um pelo está encravado é observar o lugar. Pois, a região estará avermelhada e, normalmente, estará mais saltada também, devido ao crescimento interno do pelo.

Além do mais, a pele em volta do pelo encravado pode ficar escurecida em um processo chamado de hiperpigmentação. Há casos também que pode ocorrer um breve sangramento. Mas, esse sangramento só ocorre se você manipular a região com os dedos, unhas ou uma pinça.

Complicações

Primeiramente, o pelo encravado é algo corriqueiro, e consequentemente simples. Porém, se você começar a cutucar aquela região do cabelo encravado, você pode estar provocando uma possível infecção bacteriana. Logo, isso pode fazer com que apareça uma bolsa de pus e pode até mesmo deixar cicatrizes no local.

Além do mais, mexer no pelo encravado pode levar até mesmo à formação de um furúnculo. Essa lesão, aliás, é decorrente da infecção pela bactéria Staphylococcus aureus, comum na pele; mas que se prolifera diante da baixa imunidade.

Portanto, a junção do pelo encravado, mais imunidade baixa, e ainda você cutucando a região com a mão suja, pode fazer com que facilite ainda mais o quadro de infecção bacteriana.

7 truques para prevenir o pelo encravado

1- Depilação

Basicamente, como já dissemos, a depilação é uma das principais causas do pelo encravado. Portanto, se você quer se livrar desse indesejado e doloroso problema, a dica é: deixe que os pelos cresçam de vez ou livra-se deles também de uma vez por todas, com a depilação a laser, por exemplo.

Mas, caso a depilação a laser não seja viável no momento, alguns cuidados diários podem amenizar o problema. Uma ótima dica, por exemplo, é raspar os pelos com a pele úmida e obedecer a direção para a qual os pelos crescem.

Contudo, é importante destacar que as lâminas podem provocar micro lesões na pele. Por sua vez, essas lesões podem servir como porta de entrada para microrganismos e também levar à inflamação.

2- Evite roupas apertadas

Primeiramente, vale a pena destacar que as roupas muito apertadas causam mais atrito e podem impedir o crescimento dos pelos. Além disso, roupas grossas também não são recomendadas, já que podem agredir e dificultar a transpiração.

Outra ideia ruim e que pode levar ao pelo encravado é usar roupas molhadas. Portanto, especialmente depois da depilação, dê preferências a roupas que permitam a ventilação e que estejam devidamente secas.

3- Esfoliação

Basicamente, métodos esfoliantes podem auxiliar na remoção de células mortas. Ou seja, podem fazer com que libere mais espaço para os pelos crescerem livremente. Além disso, podem ser usados para solucionar casos simples de encravamento.

Portanto, o ideal é você lavar a região antes de se depilar ou barbear, usando uma esponja macia ou um sabonete líquido com microesferas. Isso já ajuda a esfoliar a pele, retirando células mortas e estimulando o crescimento adequado dos pelos.

Além disso, você pode usar receitas caseiras para esfoliar a pele e mantê-la sempre hidratada.

4- Mantenha a pele limpa e hidratada

Basicamente, manter uma pele limpa e hidratada faz bem não só para evitar pelos encravados, como também para saúde da sua pele.

Outra dica é usar sabonetes antissépticos, caso você tenha sempre algum pelo encravado. Pois, eles removem o excesso de resíduos do meio ambiente que se acumulam nos poros, assim como suavizam a oleosidade da pele.

Caso você tome banho de piscina, de mar, use banheiras ou jacuzzis, a dica é, em seguida, lavar bem o corpo com sabão neutro ou antibactericida. Isso vai evitar a proliferação de bactérias.

No entanto, vale ressaltar que o uso exagerado desses sabonetes especiais podem aumentar a produção de óleos e também eliminar bacteriais que são essenciais para a saúde da pele. Portanto, nada exagero. Prefira usar esses sabonetes antes da depilação e em ocasiões especiais, como descrevemos acima.

5- Pomadas anti-inflamatórias

Basicamente, essa dica é para o caso de seu quadro se agravar. Nessas situações, pomadas contra espinhas ou antibióticas ajudam a desinflamar a região, evitando a proliferação de bactérias e possíveis manchas ou cicatrizes.

Isso porque esses produtos contém ureia, ácido salicílico, peróxido de benzoíla, ácido retinoico e ácido glicólico. Ou seja, compostos que podem acelerar ainda mais o combate aos pelos encravados.

6- Adstringente ou talco para manter a pele seca

Para diminuir o atrito da pele, nada como uma loção adstringente ou de talco. Aliás, o momento ideal da aplicação é após fazer a assepsia e a esfoliação da pele. Ou seja, antes mesmo da depilação.

Vale ressaltar que o pó perfumado pode ser substituído por amido de milho. Até porque ele reduz a umidade da pele e também facilita a aderência da cera ou da lâmina.

7- Gelo para acalmar a pele

Após a depilação, para acalmar a pele e evitar pelo encravado, nada como uma compressa fria. Isso ajuda porque a pele terá sofrido o rompimento de vasos sanguíneos ligados aos folículos.  E, isso pode estimular uma inflamação.

Portanto, colocar gelo na região depilada pode diminuir a dilatação dos vasos e a abertura dos poros.

Ainda tem dúvidas sobre pelos encravados? A gente torce para que não! Mas, caso ainda reste alguma perguntinha, não exite em nos contar nos comentários.

E falando em pelos encravados, a verdade é que eles não são os únicas consequências ruins da depilação. Mas, isso você confere nesse outro post: Bolinhas na virilha, 13 truques para evitar o problema depois de depilar

Fontes: Ativo saúde, Catraca livre

Imagens: Catraca livre, Vix, E.gestor, Glas, Wspa, Spasso, Ideia nutri, Chakalat, Casa.abril, Vanderleia Marciano, Info Diário

Próxima página »

Escolhidas para você

Comentários

5 1 vote
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários

Escolhidas para você