Maternidade

Acne na gravidez – Causas, como evitar + relação com o sexo do bebê

O aparecimento de acne na gravidez pode ser bastante comum e existem diversos fatores que contribuem para isso.

A gestação é um período que traz diversas mudanças ao corpo. As alterações hormonais comuns nessa fase são necessárias para o bom desenvolvimento do bebê, mas algumas delas podem trazer alguns problemas. O aparecimento de espinhas é um desses problemas, por isso vamos falar mais sobre a acne na gravidez.

Nem sempre surgem espinhas durante a gravidez, mas saiba que esse é um problema comum. O que acontece é que os níveis de estrogênio e progesterona aumentam atingindo até 30 vezes a quantidade normal durante a gravidez. Esses hormônios são muito importantes para aumentar o fluxo sanguíneo que chega à placenta e satisfazem as necessidades metabólicas do bebê.

Mas além disso, esses hormônios são responsáveis também por aumentar a secreção das glândulas sebáceas, que liberam o óleo da nossa pele. Como consequência disso, surgem as espinhas na gravidez. Entretanto, essas substâncias também podem deixar a pele viçosa e os cabelos mais sedosos. Por isso, o aparecimento das espinhas pode estar relacionado também a fatores genéticos e estresse.

Como evitar a acne na gravidez

Acne na gravidez - como é provocada e como evitar
Fonte: Instituto Villamil

Outro fator que influencia no aparecimento da acne durante a gestação é a alimentação. Alimentos ricos em gorduras e açúcar podem deixar a pele mais propensa ao aparecimento de espinhas, pois aumenta a oleosidade. Por isso, mantenha uma dieta equilibrada evitando o consumo de alimentos que interferem na produção de sebo da pele. Além disso, lembre-se de consumir bastante água para manter a pele sempre bem hidratada.

E falando em hidratação, lavar o rosto regularmente com sabonete neutro e utilizar hidratantes é outra forma de evitar a acne na gravidez. Por isso, remova bem produtos, como maquiagem, do rosto antes de dormir, utilize sempre protetor solar e prefira produtos livres de óleo, para não aumentar a oleosidade da pele.

No entanto, evite lavar a pele em excesso, pois isso pode acabar removendo a oleosidade natural da pele e provocar um efeito rebote. Desse modo, a pele irá tentar compensar essa falta de óleo aumentando a produção do sebo natural. A utilização de águas termais e águas micelares, borrifadas no rosto algumas vezes por dia, também é uma boa alternativa.

Uma boa notícia é que, durante o período de amamentação, os hormônios começam a se estabilizar. Dessa forma, a pele começa ao normal por volta de seis meses depois da gravidez.

O que não fazer

Fonte: Freepik

Antes de utilizar qualquer produto procure saber se é indicado para gestantes. Alguns dermocosméticos que contenham retinoides, salicilatos e isotretinína em sua composição, por exemplo, não são indicados. Procedimentos como peeling químico também devem ser evitados, pois podem fazer mal para o bebê.

Se o aparecimento da acne se tornar muito incômodo, o mais recomendado é procurar um especialista. Um dermatologista irá fazer uma avaliação prévia e um obstetra saberá qual tratamento é o mais adequado para eliminar a acne durante a gestação.

Mudanças na pele na gravidez

Além do surgimento da acne na gravidez, outras mudanças indesejadas na pele podem acontecer. O escurecimento de algumas partes do corpo, como os mamilos, genital e ânus e de sardas ou pintas já existentes; o aparecimento de melasma; e a linha nigra, mancha em forma de linha vertical que aparece na barriga, são exemplos.

Com o esticamento da pele, estrias, ressecamento e o efeito “casca de laranja” também podem ser provocados. O consumo de carboidratos como pão branco, biscoitos, farinha de milho e de mandioca e bolos também pode contribuir para o efeito “casca de laranja” na pele. Por isso, mais uma vez, uma alimentação balanceada e o uso de hidratantes é fundamental no período de gestação.

O sexo do bebê baseado na acne durante a gravidez

Fonte: Pinterest

Muitas pessoas relacionam a aparência da pele de uma pessoas grávida com o sexo do bebê esperado. É comum, nesses casos, ouvir que quando surgem mais acnes na pele durante a gestação e o cabelo está mais sedoso, o sexo do bebê é feminino. Mas se a pele estiver mais bonita, o sexo do bebê é masculino. No entanto, esse é só mais um dos mitos quando o assunto é gravidez.

A explicação científica para essa relação é bem simples e diz respeito a algumas mudanças hormonais. Alguns estudos apontam que a produção de HCG pela placenta costuma ser maior quando o bebê é do sexo feminino. Esse hormônio é responsável por dar suporte ao embrião no útero e produzir o estrogênio e a progesterona. E, como vimos no início do texto, essas duas substâncias podem contribuir para o aparecimento de acnes na gravidez. Portanto, não é possível saber o sexo da criança apenas olhando a pele da pessoa gestante.

Fontes: NACE L’Oréal Paris Bebê.com.br Mil Dicas de Mãe

Imagens: Pixabay Instituto Villamil Freepik Pinterest

Próxima página »

Escolhidas para você

Comentários

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários

Escolhidas para você