Maternidade

Como organizar a rotina alimentar do bebê?

Até os seis meses de vida, o bebê se alimenta exclusivamente de leite materno. A partir do 6° mês, é feito a introdução alimentar da criança.

Toda mamãe sabe que a maternidade é uma constante luta de amor e ódio contra o relógio, não é mesmo? Os horários são difíceis de organizar, e quando finalmente eles se encaixam, alguma coisa acontece e tudo muda novamente. Apesar disso, é imprescindível estruturar a rotina alimentar do bebê, como implementar a introdução alimentar.

Provavelmente você irá sentir uma grande dificuldade no começo, mas logo perceberá o quanto foi importante estabelecer os horários da alimentação do pequeno.

A organização da rotina alimentar do bebê deve ser feita duas vezes, em dois momentos:

  • Primeiros seis meses de vida;
  • Introdução alimentar (a partir do 6° mês).

É claro que eu vou te mostrar como organizar essa rotina em cada um dos dois momentos, mas vamos começar pelo começo: a alimentação dos recém nascidos!

Rotina alimentar do bebê nos primeiros 6 meses

Primeiramente, você precisa saber que durante o primeiro ano de vida do bebê, sua alimentação irá passar por mudanças constantes. Então, agora vamos focar nos primeiros seis meses de vida da criança, mas sem ansiedade, tudo bem?

Segura na minha mão – sem medo – e vem entender um pouco mais sobre a alimentação do bebê nesse primeiro momento!

1 – Amamentação

A alimentação do bebê irá contar com o leite materno até, pelo menos, os dois anos de idade. Apesar disso, a frequência da amamentação na rotina alimentar do bebê irá variar durante esse período.

Durante o primeiro ano de vida da criança, a amamentação será a principal fonte alimentar dela. Mas, durante os primeiros seis meses, esse será o único alimento com o qual a criança terá contato.

Ou seja: leite materno será o único alimento que a criança irá consumir durante os primeiros seis meses de vida.

Durante as primeiras semanas, é normal a mamãe ainda estar se acostumando e dar o peito todas as vezes que a criança chorar. Mas, com o tempo, é possível distinguir o choro de fome dos outros, como o de cólica ou xixi e cocô.

Para facilitar, é possível definir os horários das mamadas: a criança pode se alimentar de 3 em 3 horas.

Mas lembre-se: no fundo, é a criança que sabe quando está com fome. Se ela rejeitar o peito, ou pedir mama em outro momento, respeite. Acredite, com o tempo os horários se encaixam!

2 – Garanta que a mama esvaziou

Todas as vezes que oferecer o peito ao bebê, dê aquele que você o amamentou por último, da última vez.

O motivo? Isso irá garantir que o bebê terá acesso a todos os nutrientes disponíveis no leite materno, inclusive aqueles mais presentes no leite posterior, aquele restinho que vem por último.

O contato com essa gordura e todos os nutrientes disponíveis no leite materno é certamente essencial para o desenvolvimento da criança.

3 – Beba água

Você realmente achou que as dicas não envolviam a sua própria alimentação? Achou errado mamãe!

Para a produção de leite materno (e garantir sua hidratação), é necessário beber muita água. Beba muito água todos os dias, em média de 2 a 4 litros por dia.

4 – Cuidado com as crenças populares

A alimentação do bebê é fruto de muitas crenças populares, e é necessário tomar cuidado com elas. Durante esse período, você já enfrentará problemas como:

  • Cansaço extremo;
  • Sono acumulado;
  • Muitas emoções conflitantes;
  • Falta de informação;
  • Em outros casos, excesso de informações.

Por isso, já tendo que lidar com tudo isso, é preciso tomar cuidado com as crenças populares.

Por exemplo, mesmo que as pessoas falem, não existe leite fraco ou forte. Além disso, canjica não deixa seu leite mais forte, como cerveja não dá mais nutrientes à ele.

Não acredite em tudo que falam. Está com alguma dúvida? Contate seu pediatra, como também sempre fique de olho nas nossas dicas, pois elas valem ouro!

5 – Conclusão

Até os seis meses de idade do bebê, dê leite de 3 em 3 horas. Mas, também amamente sempre que ver que a criança está com fome. Lembre-se de sempre esvaziar uma mama antes de passar para outra.

Além disso, beba muita água e sempre duvide do senso comum, das famosas crenças populares.

Por fim, agora vamos para a organização da introdução alimentar, confira!

Organizando a introdução alimentar

Seu bebê completou seis meses de vida? Então está na hora de incrementar sua alimentação.

Eu sei que agora a rotina já tinha se organizado de uma forma, e estava tudo bem. Mas não tem jeito, vai ser preciso bagunçar um pouco esses horários para conquistar uma nova configuração para a rotina alimentar do bebê.

A maioria das dúvidas estão relacionadas à substituição. Uma pergunta constante, por exemplo, é se uma refeição específica deve substituir uma mamada. Admite, foi a primeira coisa que você pensou, não é mesmo?

Bom, vamos por partes!

1 – Frutas

Primeiramente, é preciso começar com o básico. Assim que a criança completar seis meses de idade, introduza frutas na sua alimentação.

É para entupir a criança com todo tipo de fruta, toda hora? Não! Pela manhã, um tempo depois da primeira mamada, corte uma fruta para a que a criança comece a se adaptar com novos gostos, texturas e formatos.

Faça essa introdução alimentar por cerca de uma semana até quinze dias, para só depois ir ao próximo passo.

2 – Almoço

Certamente já está na hora de incluir o almoço na alimentação do bebê. Inclua o almoço e deixe assim por cerca de um mês. Os intervalos entre as alimentação continuam de 3 em 3 horas, podendo varias para 4 horas entre um ou outro.

Além disso, é bom lembrar que o almoço irá substituir a mamada que acontecia nesse horário.

3 – Jantar

Dá mesma forma que foi feito com o almoço, deve ser feito com o jantar. Essa refeição irá substituir a mamada da noite, podendo permanecer a mamada que acontece antes do bebê dormir.

Nesta altura do campeonato, também pode ser introduzido uma fruta no período da tarde.

Dessa forma, a rotina alimentar do bebê ficará assim:

  • Mamada quando acorda;
  • Frutinha no meio da manhã;
  • Almoço;
  • Mamada depois do almoço;
  • Frutinha da tarde;
  • Mamada antes do jantar;
  • Jantar;
  • Mamada antes de dormir.

Também pode haver mamadas em outros horários. Mas normalmente elas não acontecerão na mesma frequência que aconteciam quando essa era a única fonte de alimentação da criança.

4 – Sugestão de horários

Enfim, esse tópico é literalmente uma sugestão. Isso por que, os horários certos precisam se adaptar com a rotina de cada família. Ou seja, o horário exato só você pode definir.

Dito isso, uma sugestão é:

  • 8h – Leite;
  • 9h – Fruta;
  • 11h – Almoço;
  • 13h – Leite;
  • 15h – Fruta;
  • 17h – Leite;
  • 19h – Jantar;
  • 20h – Leite.

O que deve conter na rotina alimentar do bebê com mais de 6 meses?

Bom, para finalizar com chave de ouro, vou te contar quais são esses alimentos incluídos na introdução alimentar. Enfim, confira!

1 – Papa

A papa é o alimento servido no almoço ou no jantar. Trata-se de comida amassada com garfo ou em forma de purê. Ela pode ser temperada com ervas frescas, sem adição de sal.

Em resumo, as papas podem ser compostas por:

  • Cereais: arroz e macarrão;
  • Tubérculos: batata, batata doce e aipim;
  • Leguminosas: feijão, soja, lentilha, grão de bico;
  • Proteína animal: carne bovina, fígado, peixes, frango ou ovos;
  • Verduras e legumes: abóbora, brócolis, beterraba, cenoura e repolho e afins.

2 – Frutas

Em resumo, as frutas dadas ao bebê no lanche da manhã e da tarde devem ser frescas. Além disso, elas precisam ser raspadas ou amassadas. Alguns bons exemplos são:

  • Maçã;
  • Pera;
  • Banana;
  • Mamão;
  • Abacate;
  • Caqui;
  • Melancia.

3 – Leite materno ou fórmula

Por fim, o leite é sob livre demanda, ou seja, a vontade sempre que o bebê pedir. Use fórmula só em casos em que não é possível amamentar ou sob indicação do pediatra.

Principais dúvidas sobre a rotina alimentar do bebê

Finalmente você entendeu como estruturar a alimentação do bebê, né? Então reunimos as principais dúvidas sobre o assunto que, provavelmente você quer tirar.

1 – Você deve substituir leite materno por suco?

Primeiramente, suco só pode ser introduzido na alimentação da criança depois de um ano de vida. Isso ocorre por que, o suco contem mais açúcar que a fruta, e ao bater a fruta, ela perde fibra e nutrientes.

Ainda assim, depois de um ano, de o suco, mas nunca para substituir o leite materno – esse é insubstituível.

2 – Você deve acordar o bebê para alimentá-lo?

Normalmente, quando o bebê sente fome, ele irá acordar naturalmente. Além disso, ele se acostumará com os horários alimentares que você impor.

Ainda assim, se ele não acordar para comer, não o acorde. Em suma, não faz mal atrasar os horários um pouco vez ou outra.

3 – O que fazer se o bebê não quiser comer?

Por fim, se o bebê não quer comer, simplesmente não o force. Ele ainda tem os nutrientes do leite materno, e pode ser que demore um tempo para se adaptar aos novos alimentos.

Sobretudo, se o bebê recusar o almoço ou o jantar, recue, e alguns minutos ofereça de novo.

Além disso, se o bebê recusar algum tipo de alimento, como alguma fruta azeda ou amarga, de tempo ao tempo até ele se acostumar com o gosto. Não desista de apresentar e reapresentar o alimento, mas não force toda hora.

Enfim, agora você compreendeu um pouco melhor a rotina alimenta do bebê? Então que tal entender o que acontece com o corpo da mulher durante a gravidez?

Próxima página »

Escolhidas para você

Comentários

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários

Escolhidas para você