Maternidade

Trabalho de parto: saiba identificar os sinais e o que fazer

Quais são os sinais de que você está entrando em trabalho de parto, e quais são as primeiras ações que você deve tomar se isso acontecer.

Atualizado em 06/08/2019

A gravidez é um dos momentos mais emocionantes da vida de uma mulher. O sentimento de estar gerando uma vida, é uma das coisas mais recompensadoras da existência.

Mas quando chega a hora H, em que o bebe quer conhecer o mundo, bate uma apreensão. Em primeiro lugar, você não tem certeza se é a hora certa. Em segundo lugar, você pode ter dúvidas do que fazer a seguir.

É por isso que é de extrema importância você saber identificar quais são os sinais exatos de que está entrando em trabalho de parto. Água perna a baixo e fortes dores na barriga são os sinais mais claros de que a hora de nascer realmente chegou.

Quase todas as gestantes recebem os sinais, e nós estamos aqui para te ajudar a identificar quais são eles, e o que fazer.

Conheça os sinais de que você está em trabalho de parto e saiba o que fazer:

Contrações

O que fazer quando entrar em trabalho de parto, e os sinais

Muitas mulheres pensam que só sentem contrações quando chega a hora de ter o bebe, porém, não é bem assim. Algumas semanas antes de entrar em trabalho de parto, é normal que as mulheres já comecem a passar por contrações mais leves. Isso ocorre entre a 36° e a 37° semana. É por isso que você precisa avisar sua obstetra quando isso começar a acontecer.

A diferença para as contrações pré-nascimento do bebe é o intervalo de tempo com que ela acontecem. Se elas começarem a acontecer de cinco em cinco minutos, ou até três, é porque o grande momento chegou.

Cada uma irá durar de 30  a 40 segundos, e a dor será bem mais aguda, quase insuportável. Ela se assemelhará muito a uma cólica renal ou a uma dor de barriga bem forte.

Dilatação

O que fazer quando entrar em trabalho de parto, e os sinais

Quando se inicia as contrações, normalmente também ocorre a dilatação. Espera-se que ela evolua de 1 cm para 10 cm. As vezes, acontece que, devido a dor, a mulher não perceba que está acontecendo a dilatação.

É bom estar ciente que não é necessário sair correndo caso esses sinais comecem a aparecer. Se não houver sangramento ou o bebe não estiver se movimentando, você pode se acalmar e fazer tudo com calma. Só não deve andar sozinha, para não ter perigo de cair durante uma contração muito forte.

Bolsa

O que fazer quando entrar em trabalho de parto, e os sinais

Após as contrações e dilatação, ocorre o rompimento da bolsa. Um grande volume de liquido espesso, cerca de 1 litro, irá começar a escorrer pelas pernas. A partir desse momento, as contrações irão se intensificar e ficar cada vez mais doloridas.

Em casos de nascimento prematuro, o rompimento da bolsa pode acontecer antes dos outros dois primeiros sinais.

Chegando ao hospital

O que fazer quando entrar em trabalho de parto, e os sinais

Assim que chegar a maternidade, a nova mamãe será recebida por um plantonista e por uma enfermeira obstétrica. Eles farão uma avaliação clínica para ver os batimentos cardíacos, marcação das contrações e checagem das dilatações. Além disso, alguns exames como cardiotocografia e ultrassom serão realizados. Ao final desses procedimentos, o médico entrará em ação.

Ainda sim, ela ficará em espera por um tempo. Ela poderá esperar na enfermaria ou então em um quarto pré-parto, aonde as vezes existem equipamento para que o parto aconteça ali mesmo. O trabalho de parto pode durar de 10 até 15 horas.

Chegou a hora

O que fazer quando entrar em trabalho de parto, e os sinais

Quando a dilatação chegar, finalmente, a 10 centímetros, é a hora de começar a fazer força junto com as contrações. Deste momento em diante, o parto poderá acontecer de 40 minutos até 2 horas. Neste momento, seja parto normal ou cesárea, começará a acontecer.

E aí, o que você achou dessa matéria? Está se sentindo mais preparada para a chegada de um bebe? Leia essa matéria aqui também: 3 primeiros sintomas de gravidez que aparecem antes da menstruação atrasar

Fonte: Revista Crescer