Saúde

DIU de Cobre – O que é, vantagens, desvantagens e curiosidades

O DIU de Cobre é considerado um dos métodos contraceptivos mais seguros e de longa duração. Conheça mais sobre ele e tire suas dúvidas.

O Dispositivo Intrauterino, conhecido também pela sigla DIU; é um método contraceptivo considerado muito seguro em relação a outros métodos. Estamos falando, afinal, de um pequeno dispositivo em formato de T, que é inserido no útero. Aliás, hoje em dia, existem duas opções do método, sendo elas: DIU de Cobre e o DIU Mirena.

Sendo assim, surgem muitas dúvidas sobre o método, sua eficácia, e principalmente a diferença entre o DIU de Cobre e o DIU Mirena. Para começar, o DIU de Cobre é um método não hormonal que atua como uma barreira que impede o acesso do espermatozoide ao óvulo.

Já o DIU Mirena, além de impedir a concepção, também pode ser usado no tratamento de algumas doenças devido a sua carga hormonal.

Hoje vamos falar um pouco mais sobre o DIU de Cobre, suas vantagens, desvantagens e alguns mitos e curiosidades. Contudo, já falamos também sobre o DIU Mirena em uma outra matéria.

O que é DIU de Cobre?

O DIU de Cobre é um pequeno dispositivo revestido por um fio de cobre em formato de T que é inserido dentro do útero. Desse modo, o dispositivo atua liberando íons de cobre para impedir a mobilidade do esperma ao redor do útero. Sendo assim, fica quase impossível que o espermatozoide atravesse essa “barreira”. Contudo, caso ele passe, o cobre impossibilita que o óvulo seja fecundado, já que altera sua movimentação pelas trompas.

O DIU de Cobre é muito indicado para quem procura uma prevenção permanente e reversível, uma vez que ele pode durar até 10 anos. Esse método é encontrado em farmácias por R$ 100,00, em média. No entanto, ele é disponibilizado por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), nas Unidades Básicas de Saúde, e em hospitais públicos gratuitamente.

Fonte: Dr Sergio Cabral e Dra Rebecca Spinelli

Como o DIU de Cobre é colocado?

Logo após uma avaliação médica, na qual o profissional da saúde confirme que o DIU de Cobre é o método mais indicado para você, a colocação é muito simples. O dispositivo é inserido no útero pelo órgão feminino. No entanto, o procedimento deve ser feito por um ginecologista e não precisa de nenhuma intervenção cirúrgica.

Após a colocação, o DIU pode permanecer no útero por até 5 ou 10 anos, dependendo do tipo. Contudo, caso a mulher mude de ideia, ela pode solicitar a retirada do dispositivo a qualquer momento.

Sendo assim, após a remoção, o efeito contraceptivo do DIU acaba imediatamente. Ou seja, a mulher está apta para engravidar normalmente.

Fonte: A Gazeta

Quando colocar o DIU de Cobre?

Uma dúvida frequente sobre esse método é sobre o melhor momento para colocá-lo.

Não há uma regra. No entanto, o mais indicado é colocar o DIU de Cobre durante o período menstrual. Isso porque, nessa época, o colo do útero está mais dilatando, facilitando a inserção do dispositivo. Além de haver menor probabilidade de engravidar.

Vantagens e Desvantagens do DIU de Cobre

Embora cada método contraceptivo seja diferente, todos eles têm suas vantagens e desvantagens, e com o DIU de Cobre não seria diferente. Por isso, é importante conhecer o pontos positivos e negativos antes de optar por ele.

Vantagens do DIU de Cobre

  • Pode permanecer no lugar por até 5 ou 10 anos (de acordo com o tipo), mas pode ser retirado a qualquer momento;
  • Com taxa de 99%, é um dos métodos contraceptivos mais eficazes;
  • Indicado para mulheres que desejam um meio contraceptivo reversível de longa duração, e que procuram evitar esquemas de controle diário, semanal ou mensal;
  • Não interfere no ato sexual;
  • Não é afetado por outras medicações;
  • Pode ser uma alternativa às mulheres para as quais o uso do hormônio estrógeno é contraindicado;
  • Pode ser usado durante a amamentação;
  • A fertilidade retorna aos níveis anteriores depois da retirada do DIU de Cobre.
Fonte: Dr Sergio Cabral e Dra Rebecca Spinelli

Desvantagens do DIU de Cobre

  • Requer a assistência de um profissional da área da saúde treinado para colocação e remoção;
  • Pode causar cólicas e/ou sangramento irregular;
  • Algumas mulheres apresentam cefaléia e sensibilidade após colocação do DIU de Cobre;
  • Apesar de raro pode ocorrer infecção na inserção, expulsão ou perfuração uterina;
  • Não protege contra infecção por HIV (AIDS) e outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs);
  • Pode tornar o fluxo menstrual mais intenso.
Fonte: Estudo Kids

3 Fatos sobre o DIU de Cobre que você precisa saber

  1. A colocação do DIU de Cobre não é dolorida

Quanto a colocação do dispositivo, ela é muito simples, e geralmente não causa incômodos ou dores. No entanto, pode causar tontura logo após a inserção, o que é totalmente normal.

  1. Este dispositivo pode agir como contraceptivo de emergência

Sim, o DIU de Cobre caso seja inserido de 5 a 8 dias após o ato sexual sem proteção pode impedir a gravidez. Contudo, esse não é um método apropriado para uso regular como meio contraceptivo de emergência.

  1. O absorvente interno ou coletor menstrual não afeta o DIU de Cobre

Como o dispositivo fica posicionado dentro do útero, e o absorvente interno ou o coletor fica no interior da vagina, não há contanto entre eles. Sendo assim, o cuidado deve ser para que nenhum deles puxe os fios de remoção do dispositivo.

Mitos relacionados ao DIU

  • Dificilmente conduzem a uma Doença Inflamatória Pélvica (DIP);
  • Não aumenta o risco de contrair DSTs, inclusive HIV;
  • Não aumenta o risco de aborto espontâneo quando a mulher engravida depois do DIU ser removido;
  • Não torna a mulher estéril;
  • Não causa defeitos ou malformações no feto;
  • Não causa câncer;
  • Não se desloca até o coração ou o cérebro;
  • Não causa desconforto ou dor para a mulher durante o sexo;
  • Reduz substancialmente o risco de gravidez ectópica (complicação em que o embrião se forma fora do útero).
Fonte: MA10

Sendo assim, agora que você já esclareceu todas as suas dúvidas sobre o DIU de Cobre, que tal saber mais sobre as chances de engravidar com cada método contraceptivo se usado errado?

Fontes: Viva Sua Vida, Unimed, Catraca Livre

Fonte Imagem Destaque: Dr Sergio Cabral e Dra Rebecca Spinelli

Próxima página »

Escolhidas para você

Comentários

5 2 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários

Escolhidas para você