Saúde

O que é a diástase abdominal que afetou blogueira da Dinamarca?

Recentemente, muitos ficaram curiosos para entender o que é a diástase abdominal que afetou blogueira da Dinamarca Michelle Meier-Morsi.

Recentemente, uma blogueira da Dinamarca vem chamando atenção no Instagram. Michella Meier-Morsi, influenciadora, publicou algumas fotos de sua barriga ao longo da gravidez de seus trigêmeos. Eles nasceram há 3 dias. Contudo, o que realmente chama atenção é a distensão abdominal que a mulher teve. Tal quadro se chama diástase, e muitos ficaram curiosos para entender o que é a diástase abdominal, que afetou blogueira da Dinamarca. Nesse sentido, o problema ocorre quando os músculos retos da barriga se separam demais.

A médica uroginecologista Lillian Fiorelli, especialista em sexualidade feminina, explica melhor o caso. “Os músculos retos abdominais – que são os gominhos que a gente vê na barriga –, a gente tem os do lado direito, os gominhos do lado esquerdo e, no meio, tem uma junção, que é de um tecido colágeno. Para que você consiga ter uma distensão abdominal, esse tecido que faz a junção desses retos abdominais começa a se afastar, para que você consiga comportar esse aumento de pressão dentro da barriga sem a lesão de nenhuma estrutura”, comenta ela.

Já a causa mais comum do quadro costuma ser a gravidez. Contudo, o problema também pode afetar mulheres obesas, por conta do excesso de pressão da gordura. Da mesma forma, a pressão dos órgãos na parede abdominal também é uma questão. Além disso, quanto maior a distensão da barriga, maior a chance de ter uma diástase. Assim, gestações de gêmeos ou mais, fetos grandes, aumento de peso excessivo e diabetes gestacional costumam trazer mais riscos.

O que é a diástase abdominal, que afetou blogueira da Dinamarca

Continua após a publicidade

Por outro lado, existe ainda quem tenha propensão genética para o problema. Ele tende a ocorrer mais vezes em mulheres brancas. Por exemplo, Michella já tinha tido uma gravidez de gêmeos, em 2018, ao dar à luz as gêmeas Filippa e Ophelia. As duas são bivitelinas, e fizeram 3 anos em dezembro.

“Numa primeira gestação, ela já teve gêmeos – então tem uma tendência já a uma distensão muito maior. Numa segunda gestação, ela já não tinha suporte – esse elástico, esse colágeno, já não tem mais tanta força, então a musculatura fica um pouco mais flácida nessa região. Com isso, ela tem mais chance de ter essa diástase abdominal”, explica a Dra. Fiorelli. E agora, há 3 dias, Michella teve os trigêmeos Charles, Theodore e Daniel.

Continua após a publicidade

Tratamento

O que é a diástase abdominal, que afetou blogueira da Dinamarca

Além de entender melhor o que é a diástase abdominal, que afetou blogueira da Dinamarca, o tratamento também é importante. Nesse sentido, quanto maior a distensão, mais alta a chance do colágeno no meio do abdome ter problemas. Isso acontece porque, de acordo com a Dra. Fiorelli, ele funciona como um elástico. Quanto mais esticado, menor a chance de voltar ao tamanho normal. E assim como um elástico, ele ainda pode se romper. Assim, depois da gravidez, avaliar o quadro é essencial.

Continua após a publicidade

“Se você faz uma avaliação e ela continua com diástase, tem uma média de mais ou menos 3 a 5 cm [que] ainda dá para conseguir fazer uma correção com fisioterapia. Você vai fazendo o fortalecimento das musculaturas na parte lateral e consegue promover esse fechamento da musculatura mais do centro do abdômen fazendo essa força abdominal”, afirma Lillian. “Mas se tem mais de 5 cm ou fez fisioterapia e não melhorou, é [tratamento] cirúrgico, para juntar essa musculatura de novo no meio”.

De acordo com a uroginecologista, o problema pode ser evitado com exercícios abdominais, mas não durante a gravidez. Afinal, eles podem piorar a situação. “Os exercícios abdominais são para antes e depois da gestação”, comenta a doutora.

Escolhidas para você

Comentários

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários