Saúde

Exercícios para diástase: como prevenir e corrigir o problema

A diástase é o afastamento dos músculos do abdômen, muito comum após a gestação. Mas com os exercícios certos é possível resolver o problema.

A diástase abdominal é um problema muito comum e que afeta muitas pessoas, principalmente mulheres. Se trata de um afastamento do músculo reto abdominal, que consiste na separação dos retos abdominal. Apesar de ser um incomodo de muita gente, felizmente é um problema tratável e pode até ser prevenido com exercícios para diástase.

No entanto, não é qualquer exercício abdominal que funciona para corrigir o problema de diástase. Aliás, além de conhecer os exercícios certos para diástase também é muito importante conhecer os que não são indicados para essa finalidade. Aliás, práticas errôneas podem ter efeito contrário, piorando o caso.

Sendo assim, hoje iremos entender o que é a diástase e os exercícios indicados e os não recomendados para tratar o problema.

O que é diástase?

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

A divaricação, ou diástase abdominal como é mais conhecida, se trata de um afastamento do músculo reto abdominal, ou seja, a separação dos reto abdominal. Esse afastamento se dá como resultado de um alongamento da linha alba, e do afastamento dos músculos centrais do abdômen, que forma uma linha vertical.

Sendo assim, o problema pode acontecer por diversos fatores. Entre eles, pessoas com a pelve projetada para a frente, obesidade ou modificações elásticas hormonais. Bem como levantamento de peso incorreto ou excesso de exercícios abdominais. Portanto, pode ocorrer com qualquer pessoa, homem ou mulher, adulto ou criança.

Contudo, a principal causa da diástase é a tensão que se dá sobre a parede abdominal em decorrência do crescimento e movimentação do bebê durante a gravidez. Isso é mais comum quando o bebê é muito grande, em casos de gestação múltipla ou líquido amniótico em excesso.

Então, como sabemos, a gravidez resulta em várias modificações no corpo da mulher. Tais como aumento de peso, estrias, celulites, aumento da barriga e até o afastamento dos músculos que em alguns casos não voltam ao lugar após o parto. Esse afastamento é normal, mas quando ele é muito grande e acaba rompendo a membrana que liga os dois músculos abdominais, pode haver uma maior dificuldade para os músculos voltarem ao normal.

Aliás, um estudo recente descobriu que até 60% das mulheres podem ter diástase abdominal durante a gestação ou após o parto. Felizmente esse é um problema tratável com exercícios para diástase.

Cuidados com a diástase

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

Antes de qualquer coisa é preciso confirmar a diástase com um profissional. Só um especialista é capaz de determinar o afastamento dos músculos, que deve ser superior a 1,5 cm na porção superior da linha alba, 2,2 cm a 3 acima do umbigo e 1,6 a 2 cm abaixo do umbigo.

Confirmado a diástase, o paciente deve tomar alguns cuidados importantes para não piorar o caso. Os mais importantes são não prender a respiração, não realizar abdominais convencionais e exercícios de alto impacto. Lembrando que existem exercícios para diástase que funcionam para tratar o afastamento dos músculos.

O tratamento para a diástase deve ser feito com um profissional que irá avaliar o histórico do paciente, a postura e outros fatores determinantes. As alternativas incluem melhora da competência, função e equilíbrio muscular. Sendo assim, fisioterapia respiratória, ginástica abdominal hipopressiva e fortalecimento muscular através do uso de cinta pode ajudar. Bem como os exercícios para diástase.

Exercícios para prevenir a diástase

No caso de mulheres que ainda não tiveram uma gestação, é possível prevenir a diástase com alguns exercícios em casa mesmo. Sendo eles:

Prancha 

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

Para fazer exercício é preciso ficar de bruço com os cotovelos e antebraços alinhados com os ombros e apoiados no chão. As pontas dos pés devem ficar no chão, no mesmo alinhamento dos cotovelos. É muito importante que o corpo fique ereto e o quadril elevado até a altura dos ombros enquanto contrai o abdômen. Faça 5 sérias de 45 segundos com intervalos de 20 segundos.

Abdômen infra

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

Primeiramente, deite com a barriga para cima, com a lombar, ombros e cabeça alinhados ao chão. Desse modo, estenda os braços ao lado do corpo e leve o joelho rumo a da cabeça, tirando o quadril do chão. Em seguida desça lentamente e repita o movimento. Faça isso 30 vezes, dividido em três séries.

Prancha lateral

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

Para o exercício de prancha lateral a pessoa deve ficar de lado, com as pernas juntas e esticadas. Isso enquanto apoia o cotovelo e antebraço no chão e apoiando a outra mão na cintura. Com a posição ajustada, eleve o quadril lentamente e mantenha a posição por 30 segundos enquanto contrai o abdômen. Repita o exercício três vezes de 30 segundos cada uma.

Exercícios para diástase na gestação

Mesmo durante a gestação, é possível começar a tratar e corrigir a diástase. Confira alguns exercícios para gestantes:

Pilates

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

O pilates ajuda a fortalecer a musculatura das partes inferiores e centrais do corpo. Sendo assim, inclui os músculos abdominais e pélvicos, que além de ajudar a corrigir a diástase também ajudará na hora do parto.

Caminhada

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

A caminhada é um exercício leve que pode ser feito por qualquer pessoa, inclusive gestantes, e que além de evitar o sedentarismo também contribui para o fortalecimento da musculatura.

Musculação

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

A musculação quando indicada por um médico e com acompanhamento de um profissional pode ajudar muito a gestante. Com exercícios de baixo impacto e que não forcem a dobradura do tronco e que ajudam o corpo a fortalecer.

Exercícios para corrigir a diástase

Enfim, teve diástase na gestação? Não se preocupe ainda é possível corrigir o problema com esses exercícios para diástase:

Abdominal tesoura

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

Primeiramente, deite no chão, apoiando a lombar, ombros e cabeça. Feito isso, eleve as pernas, com os joelhos flexionados em 90 graus. Contraia o abdômen e desça uma perna de cada vez sem encostar o pé no chão. Repita o movimento 10 vezes com cada perna, alternando-as.

Giro de quadril alternado  Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

Deite no chão com a lombar, cabeça e braços apoiados. Então, com os joelhos flexionados em 90 graus, gire-os de um lado para outro com o abdômen contraído. Repita o movimento 20 vezes de cada lado.

Ponte elevando pernas

Exercícios para diástase: como prevenir e tratar o problema

Comece com a mesma posição dos dois exercícios para diástase anteriores. Então, eleve o quadril e trave os glúteos e o abdômen. Feito isso, levante uma perna esticada, elevando e voltando. Faça o movimento 10 vezes para cada perna.

Exercícios não indicados para diástase

Por fim, os exercícios que devem ser evitados em caso de diástase abdominal. Basicamente, são exercícios que distendem o abdômen. Isso porque esse tipo de movimento pode aumentar ainda mais o afastamento dos músculos do abdômen.

  • Abdominal tradicional: aquele que ergue a cabeça e o tronco estando na posição deitada. Esse exercício aumenta a pressão interna do abdômen e piara a diástase.
  • Abdominais que incluem movimentação de pernas e braços também devem ser evitados, pois, geram um aumento de pressão na região abdominal, atrapalhando a recuperação.
  • Movimentos de rotação do tronco.
  • Exercícios que contam com hiperflexão ou hiperextensão da coluna não devem ser realizados na fase de recuperação muscular, já que tendem a afastar a musculatura ao invés de unir.
  • Exercícios com alta carga de musculação, aqueles que não permitam controlar a musculatura e respiração.
  • Atividades de alto impacto, especialmente as que não permitem continência urinária, aquelas que facilitam o escape de xixi.

Por fim, é importante frisar que todos esses exercícios são apenas exemplos. É indispensável o acompanhamento de um profissional e indicação de um médico que irá instruir os melhores exercícios para você.

Enfim, o que você achou dessa matéria? Aliás, aproveite para conferir também: O que é diástase? Como identificar o problema e o que fazer.

Referências:

– BENJAMIN, D. R.; VAN DE WATER, A. T. M.; PEIRIS, C. L. Effects of exercise on diastasis of the rectus abdominis muscle in the antenatal and postnatal periods: A systematic review. Physiotherapy (United Kingdom), [s. l.], v. 100, n. 1, p. 1–8, 2014.

– BLASCHAK, M. J.; BOISSONNAULT, J. S. Incidence of diastasis recti abdominis during the childbearing year. Physical Therapy, [s. l.], v. 68, n. 7, p. 1082–1087, 1988.

– CHIARELLO, C. M.; FALZONE, L. A.; MCCASLIN, K. E.; PATEL, M. N.; ULERY, K. R. The Effects of an Exercise Program on Diastasis Recti Abdominis in Pregnant Women. Journal of Women’s Health Physical Therapy, [s. l.], v. 29, n. 1, p. 11–16, 2005.

– COLDRON, Y.; STOKES, M. J.; NEWHAM, D. J.; COOK, K. Postpartum characteristics of rectus abdominis on ultrasound imaging. Manual Therapy, [s. l.], v. 13, n. 2, p. 112–121, 2008.

– DOUBKOVA, L.; ANDEL, R.; PALASCAKOVA-SPRINGROVA, I.; KOLAR, P.; KRIZ, J.; KOBESOVA, A. Diastasis of rectus abdominis muscles in low back pain patients. Journal of Back and Musculoskeletal Rehabilitation, [s. l.], v. 31, n. 1, p. 107–112, 2018.

– HICKEY, F.; FINCH, J. G.; KHANNA, A. A systematic review on the outcomes of correction of diastasis of the recti. Hernia, [s. l.], v. 15, n. 6, p. 607–614, 2011.

– KAMEL, D. M.; YOUSIF, A. M. Neuromuscular electrical stimulation and strength recovery of postnatal diastasis recti abdominis muscles. Annals of Rehabilitation Medicine, [s. l.], v. 41, n. 3, p. 465–474, 2017.

– LEE, D.; HODGES, P. W. Behavior of the linea alba during a curl-up task in diastasis rectus abdominis: An observational study. Journal of Orthopaedic and Sports Physical Therapy, [s. l.], v. 46, n. 7, p. 580–589, 2016.

– MENDES, D. D. A.; NAHAS, F. X.; VEIGA, D. F.; MENDES, F. V.; FIGUEIRAS, R. G.; GOMES, H. C.; ELY, P. B.; NOVO, N. F.; FERREIRA, L. M. Ultrasonography for measuring rectus abdominis muscles diastasis. Acta Cirurgica Brasileira, [s. l.], v. 22, n. 3, p. 182–186, 2007.

– RETT, M. T.; BERNARDES, N. O.; BRAGA, M. D.; ANDRADE, S. C. Prevalence of diastasis of the rectus abdominis muscles immediately postpartum: Comparison between primiparae and multiparae. Revista Brasileira de Fisioterapia, [s. l.], v. 13, n. 4, p. 275–280, 2009.

– WANG, Q.; YU, X.; CHEN, G.; SUN, X.; WANG, J. Does diastasis recti abdominis weaken pelvic floor function? A cross-sectional study. International Urogynecology Journal, [s. l.], 2019.

– da Mota, P.G.; et al. Prevalence and risk factors of diastasis recti abdominis from late pregnancy to 6 months postpartum, and relationship with lumbo-pelvic pain. Manual Therapy. Volume 20, Issue 1, February 2015, Pages 200-205.

– Sperstad, J.B.; et al. Diastasis recti abdominis during pregnancy and 12 months after childbirth: prevalence, risk factors and report of lumbopelvic pain. BMJ Journals. Volume 50, Issue 17.

– Akram, J.; et al. Rectus abdominis diastasis. Review Article. Pages 163-169. 2013.

– Harms, R. W. Why do abdominal muscles sometimes separate during pregnancy? Mayo Clinic. 2014.

Próxima página »

Escolhidas para você

Comentários

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários

Escolhidas para você