Curiosidades

História do esmalte: origem, evolução e tendências do último século

A história do esmalte começou na China há mais de 5.000 anos. Quando os chineses pintavam suas unhas para demonstrar sua hierarquia social.

Atualmente, encontramos infinidades de cores de esmalte, cada um com um nome mais interessante e estranho do que o outro. Além disso, é muito usado para compor o visual, dando um ar mais moderno. No entanto, muitos não conhecem a história do esmalte. Por exemplo, você sabia que já pintavam as unhas na Antiguidade, há mais de 5.000 anos?

Em suma, o costume de pintar unha surgiu primeiramente na China, sendo aderido logo depois pelos egípcios antigos. Todavia, as técnicas usadas para colorir as unhas eram bem diferentes das usadas hoje em dia. Dessa forma, eram usados henna, plantas medicinais, rosas, clara de ovo, gelatina, cera de abelhas, entre outros.

Enfim, foi a partir de 1920 que o esmalte passou por modificações, adquirindo as características que conhecemos hoje. Ademais, as cores eram inspiradas nas pinturas de carro da época. Como o vermelho, por exemplo, que é um dos mais apreciados até os dias de hoje.

História do esmalte: origem

História do esmalte: origem, evolução e tendências do último século
História do Mundo

De acordo com a história do esmalte, as primeiras unhas pintadas surgiram por volta de 3.500 a.C. na China. Diferentemente dos dias atuais, as cores do esmalte estavam relacionadas com a posição social. Dessa forma, durante a dinastia Chou (7 a.C.) somente membros da realeza podiam usar uma espécie de pasta, na cor dourada ou prateada.

Portal Fashion

Ademais, no Antigo Egito (3 a.C.) era muito comum o uso do esmalte. Contudo, mulheres de classes menos favorecidas só podiam usar tons claros para pintar as unhas. Inclusive, durante o reinado de Cleópatra, a cor vermelha era para uso exclusivo da rainha egípcia. E quem desobedecesse, era punido severamente, podendo ser punido até mesmo com a morte. Por outro lado, Nefertiti preferia o esmalte de tom rubi.

Portal Fashion

Entretanto, na antiguidade as técnicas usadas na fabricação do esmalte eram bem diferentes das usadas nos dias de hoje. Por exemplo, os egípcios usavam Henna para pintar as unhas. Sendo que, as cores mais fortes eram para uso exclusivo da família real.

Já os chineses e japoneses usavam o extrato de plantas medicinais, purê de rosas, pétalas de orquídeas misturadas com Alúmen (hidratado de potássio- alumínio sulfato – alum. de potássio). Além disso, também eram usados goma arábica com clara de ovo, gelatina e cera de abelhas.

Por outro lado, os romanos não pintavam, mas tratavam as unhas com materiais abrasivos para dar polimento.

História do esmalte: evolução

História do esmalte: origem, evolução e tendências do último século
Universo Retrô

A história do esmalte não teve muitas modificações até o século XIX, quando o mais importante era os cuidados com as unhas. Onde eram mantidas curtas e arredondadas com ajuda de tesouras e limas metálicas. Inclusive, em alguns casos, as unhas eram perfumadas com óleo, cremes e colorantes, depois, eram polidas com uma tira de couro. Pois, era uma época em que o recato era uma virtude importante.

Nailpro

Dessa forma, as mulheres evitavam esmaltes com cores extravagantes. Ademais, foi nessa época que surgiu o palito para a remoção das cutículas, que ainda é utilizado até hoje. E em 1892, surgiram os primeiros salões de manicures. Onde as unhas eram bem cuidadas com massagens utilizando manteiga de cacau, vaselina ou azeite para dar brilho.

Além de deixar as unhas mais saudáveis. Também era costume das manicures prepararem uma mistura de óxido de estanho, Carmine azeite de lavanda e óleo de bergamota para aplicar nas unhas.

Século XX

Já no início do século XX, os esmaltes voltaram a fazer parte da moda. No entanto, tratava-se de soluções coloridas que duravam apenas algumas horas nas unhas. Além disso, eram aplicados com pincel feito de pelo de camelo.  Ademais, foi nessa época que tiveram a ideia de lançar o primeiro livro com instruções de como pintar unha.

História do esmalte: origem, evolução e tendências do último século
História do Mundo

Entretanto, foi apenas em 1925, que a tecnologia para a fabricação de esmaltes passou por uma grande evolução, onde foram descobertas soluções semelhantes aos esmaltes comercializados hoje. Dessa forma, foi lançado um esmalte transparente com tom rosado, que era aplicado apenas no meio das unhas (meia lua) e nas pontas arredondadas.

Enfim, no ano de 1930, já era moda pintar as unhas das mãos e dos pés. Que era um verdadeiro sucesso entra as estrelas de Hollywood, como as atrizes Rita Hayworth e Jean Harlow.

História do esmalte: origem, evolução e tendências do último século História do esmalte: origem, evolução e tendências do último século

Nova Criação

Universo Retrô

A história do esmalte passou por uma grande reviravolta em 1932. Quando os irmãos americanos, Charles e Joseph Revlon, com a ajuda de um químico, criaram um esmalte brilhante e colorido com pigmentos. Cuja aplicação era feita na unha toda. Enfim, nascia a marca Revlon, que lançou a tendência de pintar os lábios e as unhas da mesma cor.

Ademais, foi na década de 70 que surgiram os esmaltes sintéticos e a tendência de usar unhas longas, utilizando técnicas que estão na moda atualmente. Já em 1980, os fabricantes de esmaltes lançam os esmaltes de fibra de vidro e acessórios decorativos para usar nas unhas.

História do esmalte: origem, evolução e tendências do último século
Essência Brasil

Enfim, a evolução na história do esmalte não parou por aí. Dessa forma, nas décadas seguintes a tecnologia envolvendo a fabricação de esmaltes foi ficando cada vez mais complexa. Além disso, também criaram as unhas postiças, que serviam como uma alternativa para quem queria economizar tempo. E hoje, podemos encontrar esmaltes das mais variadas cores e texturas, para agradar o gosto de cada um.

As tendências do último século

História do esmalte: origem, evolução e tendências do último século
Vix
Vix
  • 1920 – criação dos primeiros esmaltes, semelhantes aos usados nos dias de hoje. Inspirados nas pinturas dos carros, surgiram cores como o vermelho, um dos mais apreciados pelas mulheres. Também surgiram as primeiras nail arts (arte nas unhas), tendência que voltou com tudo nos últimos anos.
  • 1930/ 1940 – aumento na opção de cores. Além disso, o acabamento foi ficando mais sofisticado.
  • 1950 – unhas alongadas eram a nova tendência. Ademais, foi nessa época que surgiu a técnica de extensões feitas de acrílico.
  • 1960 – o público feminino deixou o vermelho de lado. E os esmaltes em tons claros, delicados e tons pastéis se tornaram os preferidos das mulheres.
  • 1970 – a tendência da época foi à clássica francesinha. Além de novos formatos de unha, como a quadrada, por exemplo.
  • 1980 – foi uma época marcada pela tendência do exagero. Dessa forma, surgiram inúmeros modelos de nail arts. Por exemplo, usar várias cores de esmalte na mesma unha, airbrushing, pintura à mão livre, enfeites, penas, tons vibrantes de rosa, tonalidades neon e esmaltes dourados, entre outros.
  • 1990 – época marcada pelo minimalismo. Da mesma forma, as mulheres aderiram às unhas mais naturais.
  • 2000 – a tendência de nail arts retorna com tudo, assim como a preferência por esmaltes de cores e texturas variadas, para expressar sua própria personalidade.
Vix

Atualmente, existem máquinas capazes de imprimir imagem digital nas unhas. Enfim, a última tendência na história do esmalte é a liberdade que você tem para usar a criatividade, pintar, alongar e criar artes nas unhas do jeito que você quiser.

Então, o que você achou da história do esmalte? Para saber mais, leia também: 5 truques para o esmalte durar mais.

Próxima página »

Escolhidas para você

Comentários

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários

Escolhidas para você