Primeira-dama: qual é a função desse posto no Brasil?

Primeira-dama oficialmente não tem nenhuma função, apenas de anfitriã do Palácio da Alvorada, mas tende a estar envolvida em causas sociais.

A Primeira-dama, no caso do Brasil nada mais é do que a anfitriã do Palácio da Alvorada, a residência oficial presidencial e claro, esposa do presidente em exercício. Sendo assim, teoricamente ela não tem nenhuma função própria pré-estabelecida, e portanto, não tem direito a receber qualquer tipo de salário. 

Contudo, mesmo que oficialmente ela não tenha nenhuma função, até porque não dá para ter um cargo qual não foi eleita, já se tornou uma tradição que as esposas dos presidentes se engajem em programas sociais e ações beneficentes e voluntárias.

Aliás, a figura da primeira-dama tem inspiração nas tradições republicanas de países como Estados Unidos e França. E apesar de ter suas variações históricas, há um perfil bastante semelhante com o nosso.

A primeira primeira-dama do Brasil foi Dona Mariana da Fonseca, esposa de Deodoro da Fonseca, o primeiro presidente do nosso país. Atualmente, o título pertence a Rosângela Lula da Silva, a Janja, esposa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O que é a primeira-dama?

Primeiramente, a chamada primeira-dama do país é a esposa do presidente em exercício. Desse modo, ela recebe o título de anfitriã do Palácio da Alvorada, que é onde reside o presidente. Então, oficialmente a mulher do presidente não tem nenhum trabalho ou função pré-estabelecida.

Mas isso não impede que a primeira-dama esteja presente na vida política e social do país, que é o que vivemos atualmente. Hoje, quem está no cargo é Janja Silva, posto que já foi ocupado anteriormente por Michelle Bolsonaro, Marcela Temer, Marisa Letícia, Ruth Cardoso e Rosane Collor. 

A primeira-dama tem alguma função?

Além de anfitriã da residência presidencial, oficialmente não. Até porque, como já explicamos acima, não há como assumir um cargo com função política sem ter sido eleita pelo povo.

Contudo, há alguns anos todas as esposas dos presidentes, ou pelo menos a maioria delas fizeram parte de algum trabalho social voltado para causas específicas.

Por exemplo, a ex-primeira-dama Michele Bolsonaro que fez um trabalho ligado a inclusão social de pessoas com deficiência. Ela inclusive foi a primeira esposa de presidente a discursar no parlatório do Palácio do Planalto, na posse presidencial, em 2019.

Relação das primeiras-damas com trabalhos sociais

Na verdade essa tendência das primeiras-damas se envolverem ativamente com trabalhos sociais começou em 1942, com Darcy Vargas, esposa do então presidente Getúlio Vargas. Na época, Darcy fundou a instituição Legião Brasileira de Assistência, a LBA, que tinha o intuito de prestar suporte às famílias dos soldados que foram enviadas para a Segunda Guerra Mundial.

A fundação atuou a partir de recursos doados por empresários. E o trabalho social da LBA foi estendido para cada um dos estados do país, que então ficaram sob responsabilidade das primeiras-damas estaduais. Enfim, quando a guerra terminou, a organização continuou ativa, e passou a atender famílias pobres, mantendo a tradição de ser gerida pelas esposas dos governadores.

Entre as últimas primeiras-damas, tivemos Michelle Bolsonaro atuando ativamente em causas de pessoas com deficiência, Marcela Temer foi embaixadora do programa Criança Feliz. Marisa Letícia no entanto não esteve envolvida diretamente com nenhuma causa social do tipo, mas mesmo assim esteve bem ativa nas campanhas políticas do marido.

Origem do posto de primeira-dama

Esse posto dado a esposa do presidente da república, como dito anteriormente, tem inspiração no modelo francês e norte-americano. Desse modo, mesmo com algumas diferenças circunstanciais, o título tem um perfil bem parecido nos três país.

Então, tecnicamente a primeira mulher a receber o título de primeira-dama do Brasil foi Mariana da Fonseca. Ela era esposa do primeiro presidente do Brasil, Deodoro da Fonseca, que ficou no cargo entre os anos de 1880 a 1891. No entanto, de lá para cá, esse papel mudou e evoluiu bastante.

Inicialmente a primeira-dama era apenas a anfitriã do palácio, no entanto, com o tempo, as mulheres dos presidentes começaram a se envolver mais ativamente nas campanhas políticas e causas sociais. Além de representar o chefe do executivo em cerimonias oficiais.

E mais do que isso, as primeiras-damas começaram a ter bastante influência, indo muito além das escolhas fashion, até suas opiniões sobre questões políticas, tendo um papel realmente relevante quanto ao trabalho do presidente do país.

Aliás, a cargo de curiosidade, todas as primeiras-damas do Brasil, são chamadas de Donas, devido ao respeito quanto a esposa do presidente. 

LEIA MAIS:

Mulheres brasileiras – 20 nomes importantes para a história do país

Quais são as mulheres mais poderosas de 2022?

8 mulheres que ficaram milionárias antes dos 30 anos

Mulheres de Sucesso 2022: Veja quem são as 20 eleitas pela Forbes

100 frases de mulheres fortes, para reafirmar todos os dias

Mulheres mais ricas do mundo, quais são e o que fazem?

Fontes: Eleições Uol Jota Aventuras na História Super Interessante 


Outras postagens

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários