Dicas & Truques

Furar a orelha – Principais dicas e cuidados necessários

Está em dúvida sobre como ou quando furar a orelha? Apesar do procedimento ser comum, é preciso tomar algumas precauções ao realizá-lo.

Por Amanda Birck

A prática de furar a orelha é uma das mais comuns perpetuadas no Brasil. Desde a infância, enfeitar as orelhas com brincos e no futuro adicionar outros por meio de piercings segue sendo uma excelente alternativa de acessórios. Fazer um segundo furo, adicionar argolas na cartilagem ou em outros pontos da região tornou-se um modo de expressão. Todavia, de forma que seja possível perpetuar o hábito, alguns cuidados devem ser tomados ao mudar o visual.

Sobretudo, os cuidados não dizem respeito apenas às precauções da ferida recém feita, mas também ao fato dos furos influenciarem os pontos de equilíbrio do corpo. Apenas na orelha existem 5 pontos de acupuntura, utilizados para fins médicos, que refletem em todo o sistema nervoso. Existem até mesmo casos de pessoas que sintam tontura ao furar a orelha, ou que reconheçam algum sentido mais aguçado. Afinal, tudo que é feito em qualquer região afeta o organismo, mesmo que minimamente.

Mesmo assim, é essencial levar em conta tudo aquilo que deve ser feito para contribuir com um piercing lindo e uma ferida sem reações adversas. Confira abaixo todas as precauções que devem ser tomadas ao furar a orelha, bem como informações sobre as diferentes regiões que podem ser utilizadas, onde o processo pode ser feito e com quem.

Como furar a orelha?

Atualmente, estão disponíveis algumas ótimas e confiáveis opções para quem deseja furar a orelha com segurança e garantir o visual. É crucial lembrar que qualquer tentativa de realizar o processo por meio de métodos que não sejam recomendados pode ser o suficiente para ocasionar inflamações e outras complicações. Assim, tomar várias precauções deve vir em primeiro lugar. Cada método para furar a orelha possui seus prós e contras, dessa forma, escolher o mais adequado para você é o caminho certo.

Furar a orelha com agulha

Furar a orelha
Fonte: TriCurioso

Essa é a forma mais amadora de fazer o furo, e necessita de muita atenção. O método não é muito recomendado, já que existem vários fatores que devem ser levados em consideração, como possíveis inflamações e infecções. É comum que, ao realizar o processo em casa, sejam utilizadas agulhas simples, o que pode ocasionar certo desconforto ao encaixar a joia em seguida, já que o furo ainda estará dolorido.

Furar a orelha com pistola de farmácia

Fonte: Freepik

Quando o assunto é furar a orelha, fazê-lo por meio de uma pistola de farmácia é um dos métodos mais populares de todos, além de ser consideravelmente mais seguro. Todavia, o processo caiu em desuso ao longo dos anos, já que a máquina de perfuração de farmácia vem tornando-se cada vez mais obsoleta. A razão é o material das pistolas ser feito de plástico, que pode gerar contaminações caso entre em contato com o furo.

Da mesma forma, o barulho alto da máquina pode ser extremamente irritante e assustar quem está tendo sua orelha furada no momento. Um dos pontos positivos da pistola de farmácia, contudo, é a rapidez e tranquilidade do processo, já que tudo é feito em um segundo e o brinco já é inserido na máquina, o que também faz com que tudo seja menos dolorido.

Furar a orelha com agulha de piercing

Furar a orelha
Fonte: Nada Frágil

Por fim, utilizar uma agulha de piercing para furar a orelha é o melhor e mais seguro dos métodos. Normalmente o processo é feito em estúdios próprios para piercings, com profissionais da área. Além disso, a agulha é sempre completamente esterilizada, o que impede qualquer infecção. Seu furo no meio permite que o brinco já possa ser encaixado e inserido na orelha no momento em que ela é furada, com o máximo de precisão necessária. A única ressalva do método é o nível de dor, que pode ser levemente mais alto, devido à grossura da agulha.

Existem também as clínicas de acupuntura, que estão se tornando um local popular para furar as orelhas. O motivo é a precisão do profissional que realizar o feito, já que o acupunturista entende tudo sobre os pontos da região e como eles devem afetar o resto do corpo. A perfuração, afinal, não deve causar impactos para o organismo. É comum que o furo seja feito por máquina ou manualmente nas clínicas.

Escolha da joia ao furar a orelha

Fonte: Remover Tattoo

Um detalhe extremamente importante ao furar a orelha deve ser a escolha da joia. Existem milhares de possibilidades, principalmente para o segundo, terceiro ou quarto, furo, bem como outras regiões que serão enfeitadas. É comum que o brinco que será utilizado já seja inserido no momento da perfuração, mas também é possível trocá-la após o período de cicatrização, que deve ser respeitado. Afinal, o tipo de joia escolhida interfere diretamente em uma boa cicatrização da ferida.

1. Qual será o material da joia?

Esse é um dos primeiros cuidados que devem ser tomados ao escolher o brinco. O material influencia diretamente na cicatrização, e piercings de procedência duvidosa podem ser os responsáveis por inflamações, infecções e até mesmo queloides. Para quem possui alergia a determinados materiais, isso também deve ser levado em conta. Normalmente, as joias mais indicadas são as de titânio, aço cirúrgico e ouro acima de 14 quilates, que não possuem níquel, ou que possuem uma dosagem baixa da substância.

2. Qual será seu formato?

Em um primeiro momento, é importante que a joia seja arredondada, dessa forma, será mais difícil enroscar o brinco no cabelo, roupas ou superfícies, machucando o furo e inflamando a ferida. A dica é valiosa tanto para brincos quanto piercings, que costumam se prender mais facilmente por conta de seu tamanho. Nesse sentido, brincos de bolinha e pérola são uma boa pedida.

3. Qual será o tamanho?

Por fim, o tamanho também é um detalhe essencial, já que joias mais pesadas podem dificultar o processo de cicatrização, além das maiores facilitarem que o brinco seja puxado e machuque a orelha. Portanto, devem ser levados em conta os menores brincos possíveis e mais discretos, de forma que, após a perfuração curar completamente, outros acessórios possam ser utilizados.

Após furar a orelha

Depois de finalmente decidir qual será a joia, como e onde será feita a perfuração e todos os outros detalhes importantes para assegurar um processo sem complicações, é hora de cuidar do furo da orelha. Todos os cuidados devem ser seguidos à risca, dando atenção redobrada à região de forma que problemas como inflamações e queloides não sejam uma realidade.

1. Higienize a região

Fonte: Waufen

A higienização da região é essencial para garantir que não haja infecção da ferida. É preciso fazer uma limpeza diária durante o período de cicatrização, eliminando qualquer resíduo que possa interferir no processo. Esses cuidados devem ser feitos majoritariamente no primeiro mês após a perfuração, que é quando a orelha estará mais sensível e suscetível a até mesmo rejeição do organismo.

Antes de mais nada, é preciso higienizar as mãos, de preferência com sabão antisséptico. Em seguida, com um algodão, gaze ou cotonete molhado no soro fisiológico, é necessário limpar a região ao redor da perfuração delicadamente, além de limpar a joia. Feito isso, apenas deixe o local secar. Esses passos devem ser seguidos de 2 a 3 vezes por dia. Durante o banho, é possível realizar leves movimentos de rotação na joia, assim, desprendendo-a da pele e ajudando na cicatrização, mas apenas durante o banho.

2. Não tire a joia antes da cicatrização

Furar a orelha
Fonte: Go Outside

É crucial esperar o tempo de cicatrização antes de decidir trocar a joia. O tempo ideal é de 6 semanas: assim, qualquer risco de inflamação será mínimo, e a troca pode ser feita sem problemas. Lembre-se sempre de jamais adquirir brincos de baixa qualidade.

3. Não use produtos que não foram indicados ao furar a orelha

Fonte: Dicas de Mulher

Caso você tenha realizado a perfuração com um profissional, responsável por lhe orientar durante todo o processo, evite utilizar qualquer produto na região que não tenha sido recomendado. Na internet, por exemplo, existem muitas receitas de produtos caseiros para auxiliar na cicatrização da orelha, mas de procedência duvidosa. Qualquer alergia pode causar consequências indesejadas para a pele e sua saúde.

4. Evite mergulhar após furar a orelha

Fonte: Deposit Photos

A água do mar e da piscina são inimigas da cicatrização. Durante o período que o furo da orelha leva para se curar completamente, evite mergulhar na água do mar ou da piscina, que pode ocasionar em infecções e inflamações sérias, além de reações alérgicas. Caso seja necessário realizar qualquer atividade aquática durante o primeiro período das 6 semanas, considere adquirir uma touca.

5. Cuidado com a alimentação

Fonte: Best Life Saúde

Assim como ao fazer uma tatuagem, é preciso tomar muito cuidado com o que se come durante os primeiros dias após realizar a perfuração. Assim, evite comer carne de pouco, comidas gordurosas ao extremo, frituras ou chocolate, que prejudicam o processo de cicatrização. Substitua o cardápio por frutas, legumes e verduras, bem como carnes magras e grelhadas. Quanto menos gordura, melhor. O sal e o açúcar em excesso também não são recomendados, já que os dois aumentam as chances de inflamação.

6. Cuidado com as roupas, cabelo e posição na hora de dormir

Furar a orelha
Fonte: Veja

Na hora de se vestir, tome maior cuidado ao passar peças de roupa por cima da cabeça, por exemplo. Qualquer tecido que se enroscar no brinco pode afetar a cicatrização, aumentar o furo e ainda causar considerável desconforto. Durante as primeiras semanas, opte por peças de tecido liso, como cetim e seda, de forma que você não corra risco de prendê-los na joia.

Os mesmos cuidados devem ser tomados na hora de cuidar do cabelo. Ao escovar os fios, faça movimentos lentos e delicados, com atenção redobrada à região próxima à orelha. Caso os fios sejam muito longos, considere prendê-los em tranças ou coques na hora de dormir, de forma que ele não se prenda na orelha. E ao dormir, prefira ficar de barriga para cima, ou de qualquer forma que não resulte na região do brinco prensada contra o colchão ou o travesseiro.

7. Evite exposição ao sol

Fonte: Deposit Photos

Você sabia que os raios ultravioletas também podem interferir no processo de cicatrização? Ao sair de casa, tenha em mente que é preciso proteger a região do furo o máximo possível do sol. Assim, opte por um chapéu, tomando cuidado para a peça não prensar a orelha.

Se você gostou dessa matéria sobre furar a orelha, considere dar uma olhada em Piercing na língua – Cicatrização, cuidados, tipos e inspirações

Fontes: Waufen, Piuka, Ana Maria Braga

Imagens: Deposit Photos, Deposit Photos, Freepik, Veja, Dicas de Mulher, Best Life Saúde, TriCurioso, Waufen, Waufen, Go Outside, Remover Tattoo, Eu Total, Nada Frágil

Próxima página »

Escolhidas para você