Jim Carrey – Por onde anda o mega astro de Hollywood

Jim Carrey está a 40 anos fazendo parte do cenário cinematografico de Hollywood, mas há alguns anos o ator sumiu, saiba por onde ele anda!

Em 1994, o ator Jim Carrey explodiu por seus papeis no cinema, e a partir daí se consolidou como comediante e se tornou um dos atores mais renomados da cidade dos anjos. Vindo de uma família humilde do interior do Canadá, Jim trançou uma história de muita determinação e superação.

Apaixonado pelo teatro e a comédia desde a infância, o ator iniciou sua carreira na verdade em 1980, mas foi só 14 anos depois, com o filme Ace Ventura que ele realmente conquistou a aclamação do público. Inclusive, no mesmo ano, ele protagonizou os clássicos O Máscara e Debi & Loide. De forma que nos anos seguintes, migrou também para o drama e até mesmo filmes de suspense.

Sendo assim, em 1999 chegou a ganhar o Globo de Ouro de melhor ator pela comédia dramática “O show de Truman”. No ano seguinte venceu novamente por sua atuação em “O mundo de Andy”. Em 2005 foi amplamente aclamado pelo filme “O brilho eterno de uma mente sem lembranças”. Apesar disso, nunca abandonou a comédia e continuou a atuar na área, com filmes como “O todo poderoso” e “Sim senhor”.

Do mesmo modo, Jim Carrey também se comprometia ao público infantil. Desse modo, nos proporcionou grandes clássicos como “O Grinch” e “Os pinguins do papai”.

Entretanto, o próprio artista falou abertamente sobre ter depressão. E preocupou bastante os fãs quando, em 2016, se afastou das telonas e assim se manteve por quatro anos.

Histórico depressivo de Jim Carrey

Jim Carrey - por onde anda um dos maiores nomes de Hollywood
Fonte: atribuna

Em 2004, durante as entrevistas de divulgação do filme “O brilho eterno de uma mente sem lembranças” Carrey falou abertamente sobre sua depressão. Segundo ele, há dias bons e dias ruins. “Muitas vezes, podemos sorrir quando estamos no trabalho, mas lá continua em um baixo nível de aflição”, afirma ele. O ator também já falou que a doença possui um histórico em sua família. Inclusive, ele descobriu seu talento na comédia ao ver sua mãe deprimida. De forma que sempre procurava inventar piadas para fazer-la sorrir.

A saúde mental do ator começou a ser pauta e a preocupar os fãs ao perceberem a redução de seus trabalhos cinematográficos. Se em 2004 ele participou de três longas, no ano seguinte fez apenas um e em 2006, nenhum. Voltou em 2007 com o filme de suspense Número 23, um gênero totalmente novo para ele. Porém, o não obteve muitas respostas positivas pelos críticos e foi um fracasso de bilheteria.

Nos anos seguintes, continuou participando de poucos filmes. Mas, basicamente, nenhum obteve grande sucesso. Em 2013, participou da sequencia de “Kick-ass” e, mais uma vez, polemizou ao afirmar que, não concordava com o nível de violência do filme e que desde as filmagens seu coração havia mudado. Sendo assim, ele não concordava mais com aquele tipo de produção.

No próximo ano, ele protagonizou “Debi & Loide 2” mas logo depois o quadro do ator se agravou ainda mais.

Afastamento

Jim Carrey - por onde anda um dos maiores nomes de Hollywood
Fonte: Exame

Em 2015 Cathriona White, ex namorada de Jim, foi encontrada morta por uma overdose de remédios. Ela deixou uma carta para ele onde citava o relacionamento dos dois: “Esperei três dias sem acreditar que você não está aqui. Eu posso ir de coração partido e tentar colocar os pedaços de volta. Eu poderia, mas desta vez eu não tenho mais vontade”. Desde então, Jim foi visto apenas no enterro da jovem, chorando.

Em 2016, Jim Carrey volta aos holofotes para protagonizar o filme “Dark Crimes“. Porém, após isso, passou a recusar todos os papeis e ao qual era convidado. Por conseguinte, por vários anos, não se ouviu mais o nome do ator entre os meios de comunicação. Assim, seus amigos mais íntimos relataram que sua depressão havia se agravado, e que ele não saía mais de casa.

E assim foram, quatro anos afastado de qualquer projeto que envolvia cinema.

Retorno

Jim Carrey - por onde anda um dos maiores nomes de Hollywood
Fonte: celebcover

Mas, ainda assim, Jim Carrey não se afastou totalmente da sétima arte contemporânea. Em 2017 lançou “I needed color”. Um curta documental no qual ele relata como a pintura salvou seus dias de serem tomados pela angústia e aflição causados pela depressão. Segundo ele, não há como explicar exatamente o que a pintura ensina mas que, para ele, é uma ferramenta de libertação. “Eu só sei que ela me liberta. Fico livre do futuro, livre do passado, livre do arrependimento, livre de preocupações Você nunca sabe realmente o que uma escultura ou pintura significa de fato, você acha que sabe” afirma.

Além disso, ele também começou a aparecer em eventos e a dar entrevistas um tanto peculiares, preocupando ainda mais os fãs. No New York Fashion Week, por exemplo, quando questionado sobre a razão de não ter ido acompanhado ao local, Jim respondeu que estava à procura de algo que fizesse o menor sentido possível. Ainda completou dizendo que, na verdade, ele não existe e que toda aquela realidade era falsa.

Em diversos outros momentos, o ator continuou falando sobre como “não há Jim Carrey”. Ele também falava muito sobre sua libertação de si mesmo, alimentando numerosas teorias na internet. O artista, inclusive se manifestou contra a temas como vacinas e indústria médica também gerou preocupação. Especialmente porque ele afirmou ter se livrado da depressão, mas continuava tendo ações e falas bastante contingentes.

De volta às telas

Mas de qualquer modo, tê-lo de volta nas telas trouxe um certo alivio aos fãs. No ano passado, o ator se aventurou na televisão e aceitou protagonizar a série Kidding. No seriado, ele interpreta um apresentador de televisão que, na frente das câmeras é muito animado. Mas na realidade, o personagem não consegue lidar com a própria tristeza e infelicidade. O que de certa forma, traça um retrato quase biográfico do ator. Neste ano, Jim Carrey volta oficialmente as telas com Sonic – O Filme, e mostra ao público que, mesmo aos 58 anos, é possível recomeçar.

Afinal, gostou dessa matéria? Leia também 7 “cenas polêmicas” do cinema que você precisa ver.

Fontes: Adorocinema, Adorocinema

Imagem de destaque: jornaldebrasilia


Outras postagens

5 1 vote
Dê a sua opinião

guest
1 Comentário
Antigos
Novos Mais votados
Feedbacks
Ver todos os comentários
MIriam
MIriam
8 de junho de 2022 10:50

Gosto muito do Jin, ele me fez rir muito em seus filmes, acho injusto ele passar tudo isso sozinho, peço a Deus que o ajude sempre e de força espiritual para que se mantenha em pé, pois acredito que ele conhece a Deus, porque desde antes dele ficar famoso ele acreditava que seria um grande ícone nas vidas das pessoas. Gostaria muito de conhece-lo e falar com ele, e dizer a ele o quanto ele e precioso para Jesus.