Curiosidades

Ciclos planetários, quais são? Significado e influência astral

Os ciclos planetários são respostas diretas às influências dos astros na vida, sendo cada planeta essencial para entender o mapa astral.

Por Amanda Birck

-

Você já sentiu que forças maiores podem estar influenciando seus dias? Que certas ocorrências não são mero acaso? Se sim, é possível que a astrologia esteja agindo em sua vida. Em determinados períodos de tempo, é comum que alguns dramas tenham mais efeito e pesem muito mais na realidade. Esse é o caso dos ciclos planetários e sua ação no céu que influencia diretamente na existência humana, sinalizando marcos cruciais na vida pessoal e também profissional. Afinal, a astrologia pode explicar diversas situações ao longo das idades.

Nesse sentido, antes de mais nada, é essencial entender o poder da astrologia. Seu estudo se baseia na observação e identificação, de forma que o caminho feito por um planeta e a qualidade da energia manifestada pelo movimento reflitam entre as similaridades entre os dois. Tudo isso também depende do lugar e tempo afetados pelo acontecimento. Assim, ao olhar um mapa astral, você está na verdade observando uma ocorrência do tempo, um marco de um exato instante do céu. Tal observação também está diretamente conectada com as origens do universo.

Todavia, o constante movimento da esfera celeste torna impossível basear toda uma leitura pessoal em um único instante, ou em um só padrão no mapa de nascimento. É preciso observar os movimentos dos planetas por maiores períodos de tempo, entendendo como eles podem influenciar sua vida e crescimento. Dessa forma, é possível desvendar mais sobre alguém por meio de mais estudo.

Desse modo, entram então na conta os ciclos planetários, ou a forma como o movimento de vários planetas podem influenciar sua existência. Confira abaixo tudo que você precisa saber sobre a ocorrência, bem como 6 dos ciclos planetários que mais podem lhe afetar.

Como funcionam os ciclos planetários?

Ciclos planetários
Fonte: Yodarta

Mas afinal, o que exatamente é um ciclo planetário? Cada planeta leva certo período de tempo para dar uma volta em torno do Sol, e tal movimento é chamado de ciclo planetário, ou revolução. Os planetas mais próximos do Sol levam alguns anos para realizar seu giro, mas outros mais distantes podem levar décadas. 

No sentido da astrologia, cada planeta é responsável por influenciar uma área específica da existência humana, bem como da psiquê. Assim, à medida que certos planetas avançam em seus ciclos, as mudanças podem ser sentidas internamente, por meio de eventos e energias transformadoras que alteram o curso dos dias. É possível pensar no evento como a jornada da alma: cada ciclo traz consigo um novo aprendizado. E eles são capazes de afetar praticamente todas as áreas da vida, seja ela crescimento, descoberta, amor ou espiritualidade.

É comum que muitos descrevam mudanças cruciais que ocorreram ao longo do tempo e que alteraram seus dias em um determinado período, como de 7 em 7 anos, por exemplo. A famosa “crise dos 28/29 anos” é na verdade o retorno de um dos planetas, o de Saturno. A crise dos 40 anos segue o mesmo roteiro.

Principais ciclos planetários

Apesar de todos os planetas influenciarem o curso da vida, existem aqueles que possuem um papel maior em seus dias. Seus ciclos são majoritariamente de maturação, com a função de dar aquele “empurrãozinho” necessário para que você possa seguir na sua jornada espiritual. Assim, o crescimento humano segue o curso que sempre precisou seguir. São eles:

  • Marte: sua volta em torno do Sol é feita, aproximadamente, a cada 2 anos.
  • Júpiter: sua volta em torno do Sol é feita, aproximadamente, a cada 12 anos.
  • Saturno: sua volta em torno do Sol é feita, aproximadamente, a cada 28 anos.
  • Urano: sua volta em torno do Sol é feita, aproximadamente, a cada 84 anos.
  • Netuno: sua volta em torno do Sol é feita, aproximadamente, a cada 164 anos.
  • Plutão: sua volta em torno do Sol é feita, aproximadamente, a cada 248 anos.

Obviamente, ser humano nenhum viveu o suficiente para poder contar quais foram as mudanças sentidas em ciclos de planetas como Urano, Netuno e Plutão. Todavia, é possível sentir as transformações pelo fato de cada ciclo planetário passar por etapas, ou fases, que são como frações de um ciclo completo.

Fases dos ciclos planetários

Fonte: Stoodi

Durante a passagem de cada ciclo planetário, suas fases, assim como as da Lua, são responsáveis por grandes mudanças na vida. É comum que elas tragam desafios para que haja a evolução da consciência, tornando-lhe uma pessoa melhor, ou fazendo com que você perceba o que talvez não foi capaz de compreender por muito tempo, e a maturação foi responsável por fornecer tal entendimento.

Retorno

A fase mais importante de todas, o retorno também é conhecido por conjunção. Ela significa o fechamento de um ciclo, onde o planeta retorna para a mesma posição que foi encontrado no dia em que você nasceu. Cada retorno significa que um planeta cumpriu sua volta, movendo para o início de uma próxima. O período pode ser traduzido como um momento de encerramentos, de limpeza espiritual, abandonando o que não lhe serve mais. A fase é recebida com novos desafios e lhe força a tomar decisões cruciais.

Primeira quadratura

A primeira quadratura também é conhecida como o primeiro período de crise de um ciclo. Ela ocorre quando um planeta se move e faz um ângulo de 90º com a posição de retorno. A fase é de testes, onde as escolhas feitas durante o Retorno serão questionadas e será provado se elas foram boas ou não. É comum que ela traga crises por causa de arrependimentos ou esforço por meio da reafirmação, convencendo-se de que é preciso lutar pelo que foi escolhido. No geral, o momento pode ser extremamente desgastante, mas uma porta de entrada para o melhor.

Oposição

Seguindo a primeira quadratura, a oposição ocorre quando o planeta está posicionado no local oposto em que estava no dia de seu nascimento, em um ângulo de 180º. É possível vê-la como um período de análise, além da colheita dos frutos plantados no retorno e na primeira quadratura, que podem ser tanto positivos quanto negativos. Acima de tudo, a oposição traz consigo ganho de consciência e maturidade.

Segunda quadratura

Sendo a última fase, a segunda quadratura segue adiante, ao voltar a fazer um ângulo de 90º com a posição de seu nascimento, próxima de um novo retorno. O momento é de eliminação, libertando-se de tudo aquilo que não é mais necessário para seguir em frente por meio de uma tela em branco. A experiência com os outros ciclos conta muito no momento da segunda quadratura, pois eles terão ensinado o que valerá a pena manter e o que deve ser jogado fora.

Influência dos ciclos planetários

É fato que existem diversos ciclos planetários e que a influência de cada planeta é essencial para que a vida flua como deve. Existem aqueles efêmeros, como o da Lua, que ocorre a cada 27 dias. Você já ouviu a expressão “de Lua”? Isso apenas significa que algo é capaz de mudar rápido, já que as respostas emocionais do satélite são extremamente rápidas. A Lua está diretamente relacionada ao inconsciente e aos seus hábitos. Cada ciclo lunar, afinal, é responsável por uma mudança ligeira e necessária.

Nesse sentido, outros ciclos mais rápidos como os do Sol, Mercúrio e Vênus também costumam ter influências mais gerais. O Sol, por exemplo, tem a ver com a vida, e a cada aniversário, ele é capaz de renovar a vitalidade e de dar sentido à existência. Mercúrio, por sua vez, está ligado à mente, com os pensamentos e o intelecto. E Vênus é responsável por ensinar sobre valores e as reais importâncias.

Marte

Ciclos planetários
Fonte: Agência Brasil

O ciclo planetário de Marte ocorre, aproximadamente, a cada 2 anos. Ele é responsável por promover o desenvolvimento pessoal, uma situação onde é preciso olhar para dentro e entender mais sobre a própria existência, bem como quais são os recursos disponíveis para o sucesso. O momento é ideal para investir em relações tanto amorosas quanto profissionais, além de desenvolver mais das próprias habilidades.

Júpiter

Fonte: Exame

Já o ciclo de Júpiter se dá a cada 12 anos. Ele está relacionado ao entendimento do lugar que é tomado por você no mundo, e a consciência que possui a respeito disso. O momento é perfeito para expandir as conexões, testando sua capacidade de se conectar com tudo ao seu redor.

Saturno

Fonte: Brazilian Times

Saturno fecha seu ciclo a cada 30 anos. Sua relação se dá por conta da maturidade, onde as responsabilidades crescem e são melhor desenvolvidas. Assim, a situação funciona de forma que seja possível criar bases estáveis para construir valores e crenças, administrando sua própria vida.

Urano

Ciclos planetários
Fonte: Hype Science

Urano abre o reino dos ciclos transpessoais, que são os mais longos e são responsáveis por definir gerações. Ele é responsável por promover a libertação das amarras espirituais que lhe prendem, rompendo com tudo aquilo que lhe faz mal ou que não faz mais falta. O período é perfeito para renunciar o que é preciso renunciar. Seu ciclo se fecha a cada 84 anos, mas a metade dele, aos 42 anos, marca a famosa “crise da meia-idade”.

Netuno

Fonte: National Geographic

Nesse sentido, o ciclo de Netuno dura cerca de 165 anos, logo, é impossível sentir os efeitos de uma volta completa do planeta, além da irregularidade da órbita. Contudo, a primeira quadratura e a oposição ainda afetam enormemente a vida de todos. Seu movimento traz espiritualização, trazendo para mais perto o intangível. É comum perceber o período como caótico, já que muito acontece sem que haja alguma explicação, sumindo e aparecendo de formas misteriosas. É o momento ideal para se conectar com as forças do universo.

Plutão

Ciclos planetários
Fonte: Geek Reply

Por fim, vem o ciclo de Plutão, que leva cerca de 248 anos para se completar. Dele, é possível experienciar apenas a primeira quadratura. Plutão entra no jogo para fazer com que você enfrente tudo aquilo que escondeu por tanto tempo, por meio de transformações radicais e irreversíveis. Tudo isso ocorre por meio da conscientização, que vem por meio de eventos traumáticos e que despertam uma força maior, como grandes perdas. Contudo, tais perdas são essenciais para lhe colocar no caminho da luz.

Se você gostou dessa matéria sobre ciclos planetários, aproveite também para conferir Planetas no mapa astral – Características de cada um

Fontes: Terra, Astrolink, Astrologia Sistêmica

Imagens: Geek Reply, National Geographic, Hype Science, Brazilian Times, Exame, Agência Brasil, Yodarta, Astrologia Psicológica, Stoodi

Próxima página »

Escolhidas para você