Bebê empelicado: entenda esse fenômeno raro

Bebê empelicado é quando a criança nasce envolta pela bolsa amniótica, que o envolve durante toda a gestação e não se rompe na hora do parto.

Não é algo muito comum de acontecer, mas o parto ou bebê empelicado é quando a criança nasce dentro do saco amniótico, que permanece intacto mesmo depois de retirá-la da barriga da mãe. Se trata de um fenômeno bem raro, estima-se que apenas 1 a cada 80 mil bebês nasçam nessa condição. Mas recentemente, teve um desses aqui no Brasil. 

No entanto, não é nada grave ou maléfico para a mãe ou o bebê. Normalmente, o saco amniótico se rompe um pouco antes do nascimento, mas em casos raros ele se mantém integro. Então, nesses casos, depois de retirado do útero, o médico irá fazer um corte na bolsa que envolve o bebê e retirá-lo para fazer os procedimentos necessários pós-parto.

Segundo especialistas não tem como prever quando isso irá acontecer. Mas é algo natural e que não apresenta nenhum tipo de risco para a saúde do bebê. 

O que é o fenômeno do bebê empelicado?

O bebê empelicado é aquele que nasce e é retirado do útero da mãe ainda envolto pelo saco amniótico. Para quem não sabe, o saco ou bolsa amniótica é uma espécie de película fina e transparente que envolve a criança durante a gestação. É essa bolsa que protege o bebê e proporciona que ele receba todos os nutrientes necessários por meio do cordão umbilical.

Como dito anteriormente, na maioria dos partos, a bolsa se rompe no momento em que a mãe entra em trabalho de parto. Aliás, quando a bolsa se rompe ela libera um líquido que é um alerta que o parto está para a acontecer.

Se não for no começo do trabalho de parto, na hora do nascimento a bolsa já estourou, isso na maioria dos casos. Porque em situações raras, a bolsa não estoura e o bebê nasce ainda envolto por ela, que é o que chamamos de parto empelicado.

Por que ocorre o parto empelicado?

Não se sabe exatamente porque isso acontece, então, não é possível prever quando o bebê será empelicado. Mas de acordo com especialista, é mais provável de acontecer um parto empelicado no caso de cesarianas, já que a bolsa tende a rompe quando o bebê nasce de parto normal.

Além disso,  alguns fatores podem aumentar as chances de isso acontecer. Por exemplo, partos naturais sem nenhum tipo de intervenção, ou partos de bebês prematuros, bem como partos gemelares, onde cada bebê tem sua própria bolsa. Por fim, também pode ocorrer em partos feitos a partir de cesariana em que o bebê nasce muito antes da hora e é necessário fazer uma incisão vertical e ampla no útero.

O que acontece depois do nascimento de um bebê empelicado?

Apesar de ser uma surpresa para os envolvidos no parto, justamente por ser um fenômeno raro, os procedimentos feitos depois são padrão.

Então, quando o bebê nasce empelicado, o médico irá retirá-lo da barriga da mãe e fará um pequeno corte na película da bolsa amniótica para ela que estoure. Desse modo, o bebê será retirado e levado para fazer os procedimentos tradicionais, bem como testes e exames para avaliar a saúde do recém-nascido.

Existem riscos?

Não, o parto empelicado não apresenta riscos nem para a mãe nem para o bebê. Na verdade, em alguns casos, isso pode ser bem positivo, já que é uma forma de proteger o bebê.

Imagine o seguinte cenário, a grávida possui uma doença infecciosa, e o bebê não deveria ter contato com o sangue para não se contaminar. No caso do bebê empelicado ele estaria protegido. 

Além disso, o parto empelicado também pode proteger o bebê de possíveis traumas e escoriações durante o nascimento. Por fim, existe uma crença popular que diz que o bebê que nasce assim, terá muita sorte em sua vida. 

Placenta – O que é, para que ser e o que fazer com ela após o parto?

Fontes: G1 Instituto Nascer Belly Home


Outras postagens

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários