Curiosidades

Adoçantes fazem mal para a saúde? Mitos e verdades

Estudos foram realizados para comprovar se os adoçantes fazem mal ou não à saúde do organismo. E que benefícios proporcionam.

Os adoçantes se popularizaram como uma alternativa para substituir os açúcares na alimentação. No entanto, apesar de ser bastante queridinho por muitos, existe certo questionamento se os adoçantes fazem mal à saúde. Então, será que compensa abandonar o velho açúcar por um adoçante?

A princípio, pessoas que sofrem com diabetes ou com obesidade são as mais indicadas para consumir adoçantes. Pois, eles apresentam baixo índice glicêmico. Nesse aspecto, os adoçantes também contribuem para o emagrecimento. Visto que, possuem baixo valor calórico, o que pode favorecer o emagrecimento.

Em síntese, não existem comprovações que os adoçantes fazem mal. Entretanto, existem algumas contra-indicações para o seu uso. Por exemplo, crianças com menos de três anos não podem ingerir esse produto. Além disso, pessoas que sofram com fenilcetonúria, também não podem consumir. E, grávidas devem usar com moderação.

Quem pode usar adoçantes?

Adoçantes fazem mal: mitos e verdades sobre os adoçantes
Inforex

A princípio, os adoçantes foram criados a fim de contribuir com um grupo específico de pessoas. Ademais, o objetivo era substituir o uso dos açúcares na alimentação. Então, pessoas que sofrem com obesidade e com diabetes são as mais indicadas para usarem os adoçantes. Pois, eles são produtos que possuem baixo índice glicêmico.

Por isso, essas pessoas podem consumir sem fazer mal a sua saúde. Posteriormente, ele se popularizou e passou a ser utilizado por qualquer pessoa que queira fugir dos malefícios gerado pelos açúcares tradicionais. No entanto, antes de adicionar esse meio na sua alimentação, consulte um nutricionista, para evitar o uso incorreto.

Eles ajudam a emagrecer? E quem tem diabetes?

Nutriendo

Algumas pessoas apontam que os adoçantes fazem mal. No entanto, ele apresenta benefícios se você consumí-lo da maneira adequada. Ademais, os adoçantes apresentam baixo valor calórico. Desse modo, auxilia na perda do peso.

No entanto, para utilizá-lo, é preciso adequar seu uso com outros hábitos alimentares. Por exemplo, investir em um cardápio com frutas e legumes. Mas, sempre se atentando ao valor nutricional presente em cada fruta, pois elas também possuem açúcares naturais. Por fim, praticar exercícios também auxilia no emagrecimento.

Por outro lado, as pessoas que apresentam diabetes precisam controlar o nível de açúcar no organismo. Logo, os adoçantes agem como uma escapatória saudável. Pois, eles apresentam nível calórico muito baixo. Então, eles dão um sabor doce aos alimentos, mas reduzem e controlam a ingestão de açúcares e carboidratos que podem prejudicar.

Além disso, também auxiliam no controle glicêmico e diminui a ingestão de calorias. Porém, é imprescindível o acompanhamento com um médico especialista para evitar que os adoçantes fazem mal.

Contraindicações

Buscar Saúde

Os adoçantes fazem mal somente para alguns casos. Por exemplo, o aspartame é contraindicado para quem apresenta fenilcetonúria. Pois, ele é fonte de fenilalanina, um aminoácido que as pessoas nesse estado não conseguem metabolizar.

Por outro lado, pessoas que precisam limitar a ingestão de potássio, devem evitar o consumo do acessulfame K, devido a alterações renais.

Ademais, não existem comprovações de que os adoçantes fazem mal para as grávidas. Entretanto, é essencial que a ingestão seja moderada e acompanhada por um médico especialista. Já as crianças menores de três anos não podem ingerir o adoçante. Visto que, nessa idade o aparelho digestivo não está preparado para consumir aditivos alimentares.

Adoçantes fazem mal: causam câncer?

Adoçantes fazem mal: mitos e verdades sobre os adoçantes
Metrópoles

A ciência não possui nenhuma comprovação que mostre que os adoçantes fazem mal à saúde causando doenças como o câncer. E, esse produto é liberado pela Anvisa e pela FDA. No entanto, conforme o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o consumo excessivo pode provocar dores de cabeça, mal-estar, alterações de humor e até diarreia.

Os adoçantes fazem mal a saúde?

Adoçantes fazem mal: mitos e verdades sobre os adoçantes
Uol

É mito que os adoçantes fazem mal a saúde. Ademais, é comum ouvir boatos que os adoçantes fazem mal, que provocam o alzheimer, câncer e outras doenças. Entretanto, esse produto é seguro quando ingerido de forma correta, sem exageros.

De acordo com a Alzheimer’s Association, organização internacional que estuda o Alzheimer, não existem evidências entre o uso do produto e o desenvolvimento da doença. Portanto, a ciência não apresenta dados suficientes que apontem que os adoçantes fazem mal.

Porém, evite o consumo em excesso, como já mencionado anteriormente, para não acarretar em dores de cabeça, mal-estar e até mesmo em diarreias.

Adoçantes têm ação contra cáries?

Adoçantes fazem mal: mitos e verdades sobre os adoçantes
Incrível

Os adoçantes podem ter ação contra cáries. A princípio, a cárie se origina quando ocorre o acúmulo de sujeira nos dentes. Por exemplo, restos de alimentos e bebidas, juntamente com a participação das bactérias da boca.

Ademais, essas bactérias produzem um ácido em uma fermentação, originando as cáries. Nesse aspecto, o adoçante possui ação anticariogênica, pois ele inibe a ação da fermentação.

Visto que, o componente necessário para o processo é a sacarose, presente em açúcares, já o adoçante possui eritritol, xilitol e outras substâncias. Logo, ele evita o processo causador da cárie.

Todos os adoçantes são artificiais?

Dicas de Mulher

Os adoçantes não são todos artificiais, e podem ser de dois tipos: naturais ou sintéticos. A princípio, os artificiais são aqueles produzidos por reformulações em laboratório. Por exemplo, a sucralose, que é proveniente de uma molécula do açúcar de cana modificada em laboratório.

Por outro lado, os naturais são obtidos através de plantas, frutas e vegetais. Ademais, os processos de produção costumam ser de extração da substância. Por exemplo, a stévia, que é adquirida nas moléculas doces das folhas da planta stevia reubadiana, mergulhada em água. Ou também, o eritritol que é obtido pela fermentação de plantas, como o milho não transgênico juntamente com leveduras.

Por fim, se tornam adoçantes semelhantes ao açúcar tradicional. No entanto, apresentam menos calorias e são mais naturais que outros edulcorantes.

Adoçantes fazem mal se forem ao fogo?

Uol

Algumas pessoas apontam que adoçantes fazem mal quando são levados ao fogo, o que em parte é verdade. Em síntese, quando eles são colocados em fornos ou panelas quentes acabam perdendo suas características. Por exemplo, quando o aspartame é posto no fogo, ele perde a função de adoçar. Então, necessariamente não provocam mal a saúde, só perdem a sua função.

No entanto, os adoçantes possuem boa dissolução em bebidas e líquidos quentes. E também, alguns tipos podem ser utilizados em receitas que vão ao forno. Por exemplo, o eritritol, que adoça como o açúcar (1 xícara de chá de eritritol corresponde a 1 xícara de chá de açúcar) e, no caso de alguns produtos como Zero-Cal Bem Natural.

Enfim, para saber mais sobre o assunto, leia também: Adoçante – Benefícios, malefícios e diferença entre sintéticos e naturais.

Próxima página »

Escolhidas para você

Comentários

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários

Escolhidas para você