Maternidade

Espinhas na gravidez: o que causa, como evitar e tratar

Durante a gestação, o corpo da mulher passa por muitas mudanças, como o surgimento de espinhas na gravidez, por causa dos níveis hormonais.

Durante a gravidez o corpo da mulher passa por várias mudanças. Isso acontece devido à alteração dos níveis dos hormônios progesterona e estrogênio. Da mesma forma, há uma alteração no sistema imunológico, na circulação sanguínea e no metabolismo do corpo. Por isso, aparecem manchas escuras e espinhas na gravidez, por exemplo.

Ademais, é comum o aparecimento de espinhas no corpo, principalmente no rosto, no colo e nas costas. Por serem regiões com maior concentração de glândulas sebáceas. Portanto, o ideal é evitar o acúmulo de gordura na pele usando sabonete neutro.

No entanto, o aparecimento de espinhas tende a diminuir até a chegada do parto. E começam a desaparecer já no período de amamentação. Pois, é quando a concentração de hormônios começa a diminuir, assim como a oleosidade da pele.

Espinhas na gravidez: causas

Espinhas na gravidez: o que causa, como evitar e tratar
Loreal Paris

Quando uma mulher está grávida, os níveis de estrogênio e progesterona aumentam. Dessa forma, a produção de sebo (substância rica em lipídios) também aumenta, deixando a pele mais oleosa do que o normal. Consequentemente, aparecendo espinhas na gravidez.

Ademais, o volume de sangue também costuma aumentar para que seja capaz de chegar até o útero para poder suprir as necessidades metabólicas do bebê. Portanto, uma maior circulação de sangue nos vasos sanguíneos causa o aumento de secreções, que desencadeiam o aparecimento de novas espinhas.

Além disso, outros fatores também podem intensificar o aparecimento das espinhas na gravidez. Por exemplo, o acúmulo de células mortas na pele ou o estresse. Da mesma forma, se a mulher costuma ter um aumento das espinhas durante o período menstrual, ela terá mais predisposição a ter espinhas durante a gravidez.

No entanto, não é só com o aumento de espinhas que uma mulher grávida precisa lidar. Outras mudanças acontecem causadas pelos hormônios da gravidez, que afeta principalmente sua pele. Além da pele da barriga ser esticada, outras mudanças são bem comuns no corpo da gestante. Por exemplo:

  • Manchas escuras na pele, conhecidas como melasma;
  • Escurecimento da pele dos mamilos, genital e anus. Chamado de hiperpigmentação;
  • Aparecimento da linha nigra. Em suma, se trata de uma mancha escura em forma de linha vertical que aparece na barriga. Normalmente, aparece ao longo do segundo trimestre de gravidez;
  • Sardas ou pintas existentes podem escurecer mais ou até mesmo aumentar de tamanho;
  • Por fim, o ressecamento da pele e coceira.

Espinhas na gravidez: como evitar

O Globo

Em alguns casos, as espinhas na gravidez aparecem logo no início, quando o estrogênio começa a aumentar. Dessa forma, seguindo algumas dicas simples, pode evitar seu surgimento, tais como:

  • Evitar o excesso de oleosidade, para isso limpe a pele corretamente, de preferência com sabonete neutro.
  • Usar protetor solar ou creme hidratante no rosto, desde que sejam oil free. Pois, vai ajudar a diminuir o engorduramento da pele.
  • Use maquiagem moderadamente. Além disso, sempre remova de forma correta para evitar o acúmulo de resíduos que obstruem os poros.
  • Evitar longas exposições ao sol, pois a radiação dos raios UV ajudam a acelerar a formação de novas espinhas.
  • Não consumir alimentos que são inflamatórios para a pele. Por exemplo, doces, carboidratos, frituras e leite.
  • Dessa forma, prefira consumir alimentos que contenham cereais integrais e ricos em ômega-3. Por exemplo, salmão e sardinha. Que auxiliam na regulação do açúcar no sangue, além de diminuir a inflamação da pele.

Como tratar as espinhas na gravidez?

Kids Brasil

Você também pode reduzir o surgimento das espinhas na gravidez. Dessa forma, é preciso controlar a oleosidade da pele, seguindo os devidos cuidados, como:

  • Mantenha a pele hidratada com hidratantes livre de óleos.
  • Hidratar o corpo também é essencial. Portanto, beba muita água,
  • Use sabonete neutro para lavar a região afetada pelas espinhas. Depois, seque suavemente com uma toalha limpa. No entanto, não lave excessivamente. Pois, ao retirar a oleosidade natural, o organismo tenta compensar produzindo uma quantidade maior.
  • Não esprema as espinhas e evite colocar a mão com frequência no rosto. Pois, pode piorar a situação, além de deixar cicatrizes permanentes na pele.
  • Só use loções, géis ou cremes com remédios quando for indicado pelo médico. Caso contrário, pode ser prejudicial para o bebê.
Espinhas na gravidez: o que causa, como evitar e tratar
Kids Brasil

Por fim, caso tenha uma incidência muito grande de espinhas, procure seu médico. Dessa forma, ele poderá indicar um tratamento personalizado e que não prejudique o bebê. Por exemplo, sabonetes e loções suaves ou neutras.

Contudo, lembre-se que apesar de incômodo, não precisa se preocupar com as espinhas na gravidez. Pois, após o parto elas começam a sumir.

Espinhas na gravidez: dicas caseiras

Uma boa opção para a gestante diminuir o incômodo das espinhas na gravidez é fazer uso de coisas naturais. Por exemplo:

Água de arroz

Espinhas na gravidez: o que causa, como evitar e tratar
O Globo

Apesar de ser uma receita antiga, é uma ótima dica natural para diminuir a oleosidade da pele. Além disso, pode ser usada em qualquer fase da vida e, não apenas durante a gravidez. Enfim, coloque uma xícara de arroz de molho em 1 litro de água por 24 horas. Então, é só lavar o rosto 2x ao dia com a água de arroz.

Máscara de arroz com mel

O Globo

Ideal para ser feita antes de dormir, a máscara de arroz e mel é ideal para controlar as espinhas na gravidez. Em suma, cozinhe 2 colheres de sopa de arroz com água, até que ele vire papa. Em seguida, quando estiver frio misture 1 colher de sopa de mel até virar um creme pastoso. Por fim, aplique no rosto, colo ou costas e deixe agir por 20 minutos. Então, retire lavando com bastante água.

Suco de cenoura ou Framboesa

Espinhas na gravidez: o que causa, como evitar e tratar
Dicas de Mulher

Por ser rico em vitamina A, o suco de cenoura ajuda no controle da oleosidade da pele. Ademais, descasque uma cenoura grande e bata no liquidificador ou no processador juntamente com 1 copo de água. Caso prefira, também pode acrescentar suco de laranja, que possui propriedades antioxidantes. Enfim, o ideal é que a gestante tome 1 copo do suco por dia.

Por outro lado, o suco de framboesa também é uma ótima opção. Pois, contém zinco, um mineral que ajuda desinflamar a pele. Assim, como o suco de cenoura, o suco de framboesa também pode ser tomado diariamente.

Espinhas na gravidez: relação com o sexo do bebê

Dicas de Mulher

Muitas pessoas acreditam que a aparência da mulher quando está grávida tem ralação ao sexo do bebê. Por exemplo, se a mulher estiver com a pele limpa, sem espinhas, indica que está grávida de um menino. Agora, se ela estiver com os cabelos brilhantes e pele oleosa cheia de espinhas, indica que está grávida de uma menina.

No entanto, o fato de ter muitas ou poucas espinhas na gravidez não é determinante para saber o sexo do bebê. Mas, há uma explicação científica para essa lógica que muitos acreditam. Pois, como já mencionamos, as espinhas aumentam devido às mudanças hormonais que acontecem durante a gravidez. Como o aumento do estrógeno e da progesterona, por exemplo.

De acordo com pesquisas, durante uma gestação de menina, há uma produção maior do hormônio HCH pela placenta. Que é o responsável por manter o corpo lúteo, que seria descartado pela menstruação caso a mulher não estivesse grávida.

Ademais, é o corpo lúteo quem produz estrógeno e progesterona. Dessa forma, como não é descartado, as taxas desses hormônios aumentam. E assim, ele inibe a menstruação. Portanto, com o aumento das taxas dos hormônios, aumenta o surgimento de espinhas.

Por isso, é comum que mulheres grávidas de meninas tenham mais espinhas na gravidez. Mesmo assim, não é garantido para saber com exatidão o sexo do bebê. Para isso, uma ultrassonografia ainda é mais confiável.

Então, se você gostou dessa matéria, também pode gostar dessa: Dor no umbigo na gravidez: possíveis causas e tratamentos.

Próxima página »

Escolhidas para você

Comentários

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários

Escolhidas para você