Saúde

Para que serve o chá de erva-doce e como fazer

O chá de erva-doce proporciona diversos benefícios para à saúde do corpo, sendo um deles o alívio de problemas gastrointestinais.

Você sabia que tem pessoas que possuem o hábito de tomar chá de erva-doce logo após as refeições? Isso graças aos benefícios que proporciona para a saúde do corpo. Ademais, essa planta medicinal possui os mesmos princípios ativos do anis e do funcho.

Ou seja, essa erva contém propriedades, comprovadas, que auxiliam na melhor digestão. Além disso, aliviam os problemas gastrointestinais. E, também possui propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antidispéptica.

Dessa forma, a erva-doce, também conhecida como anis-verde, anis e pimpinela-branca, é uma planta medicinal da família Apiaceae. Ademais, seu nome científico é Pimpinella anisum. Nesse aspecto, a planta apresenta cerca de 50 cm de altura, composta por folhas fendidas, flores brancas e frutos secos. Além disso, tem apenas uma semente, com sabor adocicado e aroma intenso.

Por fim, a erva-doce também é utilizada em produtos cosméticos e de perfumaria. Logo, sendo encontrada em diferentes formas, como extrato seco e óleo, em mercados, feiras livres, lojas de produtos naturais e farmácias de manipulação. Curiosamente, a erva-doce é bastante confundida com o funcho e o anis-estrelado. Entretanto, são plantas bem diferentes, que apresentam propriedades distintas.

Para que serve o chá de erva-doce?

A erva-doce consiste em uma planta medicinal que contribui com diversos benefícios para quem consome. A princípio, ela é capaz de reduzir os efeitos da fermentação dos alimentos no intestino. Por exemplo, a produção de gases.

Logo, isso contribuirá para aliviar o desconforto provocado pelo aumento dos gases do intestino. Por outro lado, o chá de erva-doce pode auxiliar no alívio de sintomas que ocorrem durante a menopausa.

De acordo com estudos, essa erva apresenta propriedades antifúngica, antiviral, antimicrobiano, antioxidante, anticonvulsivante e antiespasmódicas e repelente de insetos. Enfim, fornece diversos benefícios para a saúde do corpo. Dessa forma, a erva-doce pode tratar condições como:

  • Dor de barriga.
  • Dor de cabeça.
  • Má digestão.
  • Inchaço abdominal.
  • Espasmos musculares.
  • Cólicas menstruais.
  • Inflamações na boca e garganta.
  • Tosse, gripe, resfriado, catarro, coriza.
  • Sintomas da menopausa.

Efeitos colaterais da erva-doce

Normalmente a erva-doce não provoca efeitos colaterais nas pessoas, principalmente se estiver sendo consumida em quantidades adequadas. Entretanto, existem casos raros, devido ao consumo excessivo, onde as pessoas podem apresentar efeitos colaterais. Por exemplo, náuseas, vômitos e reações alérgicas.

Quem não deve tomar chá de erva-doce?

O chá de erva-doce é contraindicado para mulheres grávidas, lactantes e crianças com menos de 12 anos. Diante disso, existem relatos de toxidades do anetol em crianças. Em suma, elas apresentaram movimentos dos olhos atípicos, espasmos, falta de apetite e choro contínuo.

Por outro lado, mulheres com câncer de mama também devem evitar o consumo do chá. Pois, esse consumo pode alterar a produção de hormônios femininos, como o estrogênio, influenciando o tratamento do câncer.

Por fim, pessoas que fazem uso de suplementação de ferro não devem consumir o chá. Visto que, irá prejudicar a absorção do nutriente no organismo.

Quanto tomar e qual melhor horário?

Mesmo a erva-doce sendo uma planta medicinal, o chá de erva-doce não deve ser consumido continuamente. Ou seja, apenas quando tiver a necessidade. Logo, é recomendado de 1 a 3,5 gramas de erva-doce, o que equivale a duas colheres de sopa, por 150 ml de água. Nesse aspecto, podendo ser consumido até três vezes no dia.

Por outro lado, é recomendado que o chá seja consumido após as refeições, quando houver problemas gastrointestinais. Ademais, se a pessoa quiser usufruir das propriedades expectorantes, ele pode ser consumido a qualquer momento do dia. No entanto, é preciso que tenha intervalo de horas entre as doses.

Dúvidas sobre o chá de erva-doce

  1. Primeiramente, uma grande dúvida: o chá emagrece? Enfim, não existem evidências que comprovem que as propriedades da erva-doce emagreçam.
  2. Hipertensos podem consumir chá de erva-doce? Sim. Pois, não existem contraindicações para que eles não possam consumir.
  3. Traz benefícios na menopausa? Apesar de ainda não existir pesquisas conclusivas, o anetol presente na erva-doce apresenta a propriedade de mimetizar o hormônio feminino (estrogênio). Logo, auxiliando na melhora dos sintomas desse período da vida da mulher.
  4. Ajuda quem tem diabetes? Não existem evidências que o chá de erva-doce traga benefícios para diabéticos.
  5. Esse chá acalma? Estudos realizados em animais apontam um potencial efeito ansiolítico e antidepressivo. Entretanto, não existem estudos feitos em humanos para confirmar essa hipótese.

Modo de preparo do chá de erva-doce

O chá de erva-doce fornece diversos benefícios para quem o consome, principalmente durante resfriados. Pois, ele auxilia na melhora dos sintomas de gripe e resfriado, como tosse, coriza e catarro. Ademais, para preparar esse chá é bastante fácil, você vai precisar de:

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de erva-doce seca;
  • 1 xícara de água.

Modo de preparo

  • Primeiro passo – Primeiramente, pegue um recipiente e ferver a água nele.
  • Segundo passo – Em seguida, coloque esta água em uma xícara junto com a erva-doce.
  • Terceiro passo – Posteriormente, é preciso tapar e deixar descansar de 3 a 5 minutos.
  • Quarto passo – Por fim, coe essa mistura e está pronto para beber.

Enfim, desde que consumido adequadamente, o chá de erva-doce só oferece benefícios à saúde do corpo. Portanto, aproveite!

E se você gostou desse post, leia também: Chá de cavalinha: para que serve e como fazer.

Próxima página »

Escolhidas para você

Comentários

0 0 votos
Dê a sua opinião

guest
0 Comentários
Feedbacks
Ver todos os comentários

Escolhidas para você