Maternidade

Mitos sobre a gravidez, quais são? Desmistificando tudo

A gravidez é um momento mágico, porém os mitos sobre gravidez podem causar diversas dúvidas na cabeça das futuras mamães.

Por Amanda Birck

-

A gravidez é um processo envolvido por diversas histórias, truques passados ao longo dos anos e incontáveis informações, tanto verdadeiras quanto falsas. Mesmo que a fase seja mágica, é normal que milhares de dúvidas rodeiem os pensamentos das mães, já que os mitos sobre a gravidez são grandiosos. A grande maioria são lendas e superstições antigas, trazidas por gerações da maternidade do mundo. Dessa forma, torna-se cada vez mais importante desmistificar todo o mistério da gestação, assim, aliviando a situação das futuras mamães.

A realidade dos mitos sobre a gravidez é extremamente justificável. Até certo tempo atrás, não existia tanta informação a respeito do processo. Assim, criar teorias para justificar e entender acontecimentos era normal, e muitos dos tópicos ainda resistem na atualidade. Todavia, com a evolução da ciência, é possível comprovar o que é necessário e abandonar o que é apenas fantasioso. Sobretudo, o essencial é fazer a mãe se sentir segura e livrá-la da angústia de seus questionamentos.

Dessa forma, confira abaixo quais são os mitos sobre a gravidez mais populares que permeiam o mundo das grávidas. Aprenda também o motivo de não serem verdadeiros, de modo que a informação jamais seja replicada novamente.

Quais são os mitos sobre a gravidez?

O período da gestação é um período de milhares de mudanças. O corpo da mãe sofre diversas alterações tanto físicas quanto hormonais para receber uma nova vida, e a elevação das taxas hormonais influencia completamente nas emoções e sentimentos. Assim, é comum que elas permaneçam mais suscetíveis às teorias supersticiosas daqueles ao seu redor, que buscam orientá-la sem embasamento científico. Apesar das boas intenções, a prática apenas causa confusão nas gestantes e piora seus nervos já à flor da pele.

Nesse sentido, é normal ouvir histórias que variam entre extremamente ficcionais ou plausíveis de consideração. Frases como “cerveja preta ajuda na produção do leite”, “barriga pontuda significa que vai ser menina” ou “grávida precisa comer por dois” passam a fazer parte da vida de gestantes. Seja como for, é essencial se informar da melhor forma possível, abandonando preceitos e confiando nas comprovações científicas.

1 – Grávidas não podem ter relações íntimas

Fonte: Sapo

Esse é um dos mitos mais comuns que envolvem o mundo da gravidez, mas sua derivação é incerta. Em determinados casos, a falácia torna-se verdade: caso a grávida apresente sangramento vaginal ou placenta de inserção baixa, as relações devem ser vetadas. Isso ocorre pelo fato da prática provocar estímulo de contrações, o que causa sangramento e possível parto prematura. Por outro lado, contato íntimo está liberado caso a gestação não possua restrições, e ainda é benéfico. As alterações hormonais, inclusive, provocam aumentos da libido.

2 – Grávidas que sintam muita azia terão bebês cabeludos

Mitos sobre gravidez
Fonte: Mamãe Box

Por mais cômico que seja, o mito ainda é popular quando o assunto é gravidez. Nada é capaz de definir a aparência do bebê além da genética, ou seja, de nada tem a ver com o excesso de azia da mãe. A sensação ocorre pelo fato do útero pressionar o estômago, o que causa refluxo do ácido estomacal, bem como as altas taxas de progesterona, que também resultam no enjoo.

3 – Barriga pontuda indica menina, arredondada indica menino

Mitos sobre gravidez
Fonte: CordVida

O formato da barriga da grávida não oferece nenhum indício de qual será o sexo do bebê, muito menos influencia o resultado final. Nesse sentido, é importante entender que a barriga cresce de acordo com a anatomia genética da mãe, sem a menor ação do feto.

4 – Se a primeira gravidez foi cesariana, a segunda não pode ser parto normal

Fonte: Revista Crescer

Da mesma forma que o mito das relações íntimas, a veracidade da relação entre o processo da gravidez pode variar. Mesmo que mínima, a possibilidade do segundo parto também ter que ser uma cesariana ainda existe. Isso ocorre pelo fato da primeira gravidez apresentar um útero recuperado, mas a cicatriz ainda pode romper durante as contrações de um parto normal. Além disso, mulheres que optaram por uma cesariana na primeira gravidez realizam o mesmo processo na segunda por causa da idade: quanto mais velhas, menos intensas são as contrações, o que pode dificultar o processo.

5 – A grávida precisa realizar todos os seus desejos alimentares para a criança nascer saudável

Mitos sobre gravidez
Fonte: Guia da Grávida

Além de ser uma superstição, o mito também pode acabar se tornando chantagem emocional das mamães. Mesmo que as vontades existam, sua realização é incapaz de influenciar a saúde do feto, já que quaisquer problemas não serão fruto de um ou outro alimento que a grávida quis comer. Todavia, existem estudos que teorizam o fator das vontades repentinas estarem relacionadas à carência nutritiva do bebê, uma informação transmitida via placenta até o cérebro da gestante.

6 – Grávidas não podem tomar café

Fonte: Women’s Health

Como nada em excesso faz bem, o café acaba por não ser a exceção da regra, mas seu consumo não deve ser completamente proibido. Gestantes podem beber até duas xícaras por dia sem quaisquer preocupações. Passar disso pode fazer com que o excesso de cafeína ultrapasse a barreira da placenta e prejudique a absorção de ferro e cálcio do feto. Nesse sentido, a precaução também deve ser seguida durante a amamentação, já que o bebê recebe o estimulante pelo leite. Bebidas como chá verde e refrigerantes também devem ser evitados.

7 – Chocolate antes da ultrassonografia ajuda a descobrir o sexo do bebê

Mitos sobre gravidez
Fonte: Minuto Saudável

Mesmo que não exista nenhuma evidência de que a ingestão de chocolate antes da visualização do útero tornará mais fácil a descoberta do sexo, é possível entender de onde o mito vem. Qualquer alimento doce consumido antes do exame fará com que a glicose e a energia sejam transferidas para o feto, fazendo com que o bebê se movimente mais. Assim, é possível facilitar ou não a identificação.

8 – As grávidas devem comer “por dois”

Mitos sobre gravidez
Fonte: Freepik

Além do mito ser fantasioso, ele é também irresponsável, pois fará com que a gestante engorde e cause riscos para o feto. Grávidas obesas possuem maiores riscos de um parto prematuro, além de enfrentar dificuldades no trabalho de parto e de desenvolver quadros de diabete, hipertensão e distúrbio na tireoide. Além disso, o bebê pode nascer obeso ou até mesmo vir a óbito durante o processo. A alimentação das grávidas deve ser balanceada e saudável, e mesmo que proteínas e carboidratos devam ser consumidas, tudo deve ser feito em equilíbrio.

9 – Cerveja preta melhora a produção de leite na gravidez

Fonte: Sabor Club

Não existe nenhum estudo que comprove o mito, tanto da cerveja preta quanto de qualquer outra bebida ou alimento. O aumento da produção de leite não pode ser influenciada por tal fator, mas é possível que o sabor possa ser alterado de acordo com a alimentação da mãe.

10 – Exercícios físicos devem ser vetados

Mitos sobre gravidez
Fonte: Tua Saúde

Mito! Atividades físicas, mesmo que em moderação, estão permitidas em casos que não possuam restrições. Todavia, é essencial que a grávida passe por uma avaliação médica completa, de forma que qualquer fator de risco possa ser verificado. Esportes de baixo impacto como ioga, caminhadas, pilates e hidroginástica estão liberados, mas sem excessos.

11 – Cruzar as pernas faz com que o cordão umbilical enforque o bebê

Fonte: Vix

É comum que, durante a gestação, o bebê se enrole no cordão umbilical, mas a ação externa é incapaz de colocá-lo em qualquer risco. Assim, os movimentos da gestante não interferem em deslocamento algum.

12 – É preciso ficar em jejum para evitar os enjoos da gravidez

Fonte: Bebê

Além do truque ser um mito, ele também pode ser extremamente irresponsável. Gestantes não devem ficar sem comer de modo algum, já que estômago vazio gera efeito rebote, liberando grandes quantidades de ácido e provocando enjoos ainda maiores. Além disso, o jejum pode causar hipoglicemia, o que aumenta os riscos de desenvolvimento de diabete gestacional. Outros sintomas negativos também estão envolvidos, como tontura, calafrios, mal-estar e sudorese, todos podendo afetar o bebê.

13 – É proibido comer mariscos e frutos-do-mar na gravidez

Mitos sobre gravidez
Fonte: Marettimo

A maioria dos peixes e frutos-do-mar podem ser consumidos tranquilamente por gestantes, desde que bem cozidos. Nesse sentido, a proibição vem pelo fato do consumo deles crus ser prejudicial na gravidez, já que eles podem conter parasitas. Assim, o risco de contrair uma infecção alimentar aumenta, já que o sistema imunológico trabalha com capacidade reduzida durante a gestação.

E aí, o que você achou dessa matéria sobre mitos sobre a gravidez? Se você se interessou, aproveite para conferir Barriga de grávida, como identificar? Dúvidas e respostas

Fontes: CordVida, Drauzio Varella, MedPrev

Imagens: Sapo, Mamãe Box, CordVida, Revista Crescer, Guia da Grávida, Women’s Health, Minuto Saudável, Freepik, Saborclub, Tua Saúde, Vix, Bebê, Marettimo

Próxima página »

Escolhidas para você